Em uma recente pesquisa da YouGov, conduzida pela AAP Animal Advocacy e a Protection of the Netherlands, 65% dos europeus afirmaram que não pagariam dinheiro para visitar um circo que explora animais selvagens.

63% na Alemanha, 71% na Itália, 73% na Espanha e 76% no Reino Unido votaram contra o uso de animais selvagens em circos. Entre eles, 45 países agora têm proibições de usar animais selvagens em circos, incluindo a Escócia e o País de Gales.

A Inglaterra ainda não aderiu à causa, apesar de resultados de uma consulta pública realizada pelo governo do Reino Unido em 2010, que mostrou que 94,5 por cento apoiaram a proibição de atos de animais selvagens.

A Inglaterra tem sido criticada por não ter ainda proibido o uso de animais em circos (Foto: Reprodução)

Jan Creamer, presidente da Animal Defenders International, disse: “Animal Defenders International viu em primeira mão como os circos simplesmente não podem atender às necessidades dos animais em acomodações pequenas e móveis, documentando o sofrimento e abuso por mais de 20 anos”.

“O Reino Unido tem sido lento em legislar, ficando atrás de países em todo o mundo, e é hora de intensificar e parar o sofrimento de animais de circo sem mais demora”, ela aponta.

David van Gennep, CEO da AAP, acrescentou: “Esta pesquisa é uma nova evidência de apoio para acabar com a prática, mas não deve ser uma novidade para os formuladores de políticas: é claro para todos que o público britânico tem exigido o fim desta forma de abuso por muito tempo”.

No Reino Unido, apenas o Circo Mondao e o Circo de Peter Jolly permanecem em operação, enquanto Thomas Chipperfield teve sua licença recusada em abril deste ano.