Relatório internacional revela aumento no tráfico de partes de tigres

Restam menos de 4 mil tigres em estado selvagem, mas mais de 7 mil em fazendas de tigres, essas instalações mantêm a demanda pelas partes dos animais, como pele e ossos, em alta

Par de filhotes de tigre na Tailândia | Foto: DNP-Freeland/EPA
Par de filhotes de tigre na Tailândia | Foto: DNP-Freeland/EPA

Dois tigres por semana são descobertos por oficiais nas mãos de traficantes, de acordo com um relatório recentemente divulgado e o mais preocupante é que este fato representa apenas uma pequena fração daqueles que foram mortos.

O relatório, publicado pela organização especialista em tráfico de animais selvagens Traffic, foi divulgado em uma cúpula trienal da CITES, onde 183 países se reúnem sob a Convenção no Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas, onde muitos delegados (representantes) pediram ações mais fortes.

O tráfico também teve um aumento desde 2012 com relação ao número de cadáveres de animais descobertos, além de peles e ossos provenientes de fazendas de tigres. O comércio internacional da espécie é proibido, mas os pesquisadores disseram que as instalações de reprodução em cativeiro, principalmente na China, prejudicam sua proteção, mantendo a demanda alta nos mercados domésticos e permitindo a lavagem de produtos de tigres selvagens.

Restam menos de 4 mil tigres em estado selvagem, mas mais de 7 mil em fazendas de tigres, que às vezes se disfarçam de zoológicos. Em 2016, mais de 180 animais foram resgatados em um templo de tigres na Tailândia.

Produtos de 2.359 tigres foram encontrados entre 2000 e 2018 em 32 países, de acordo com o relatório. “Os números devem ser considerados como o mínimo”, disse Kanitha Krishnasamy, diretor responsável pelo sudeste da Ásia na Traffic. “Há uma grande chance de estarmos interceptando apenas uma porcentagem muito pequena do comércio ilegal”.

Ela disse ainda que os delegados da Cites deveriam aplicar propostas de ação há muito discutidas, incluindo o fechamento imediato de fazendas de tigres e penalidades mais duras contra os traficantes. Na China, longas sentenças de prisão são distribuídas, mas em muitos outros países, como a Indonésia, apenas pequenas multas são cobradas.

Autoridades seguram uma pele de tigre encontrada com traficantes | Foto: James Morgan/WWF/PA
Autoridades seguram uma pele de tigre encontrada com traficantes | Foto: James Morgan/WWF/PA

“O tempo para a conversa acabou: as palavras devem ser transformadas em ação para evitar mais perdas de tigres”, disse Krishnasamy. “Cada um deles sendo retirado da natureza realmente importa.” O número de tigres selvagens é mais alto na Índia, mas relatos recentes de uma população crescente podem ser o resultado de uma contagem melhor.

As aves canoras também estavam na agenda da Cites, com delegados do Sri Lanka e dos EUA pedindo uma melhor proteção para as 6 mil espécies do mundo, muitas das quais sofreram declínios severos em suas populações.

As causas são a destruição do habitat, a captura para servir de alimento e a venda como aves domésticas (para viver em gaiolas), bem como a entrada em competições de canto, que são particularmente populares na América Latina.

Madhu Rao, diretor para o sudeste da Ásia na Wildlife Conservation Society, disse: “Os pássaros canoros podem ser silenciados para sempre se não tomarmos medidas agora para protege-los. Este é um problema global”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui