ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
  • Compartilhe

Texto

Rancho dos Gnomos

Morre em Cotia (SP) leão que foi resgatado dos maus-tratos em circo

05 de agosto de 2010 às 12:13

Morreu nesta terça-feira (3) Will, um leão que viveu 13 anos em uma carreta de circo, sendo violentamente subjugado pelo domador. Ele encontra-se, neste momento, na USP, com a equipe técnica do Rancho dos Gnomos, que está realizando necropsia em seu corpo para obtenção do laudo oficial da causa mortis.

O primeiro contato com a terra e grama foi no Santuário Rancho dos Gnomos. Assistam, clicando aqui, a esse momento de pura emoção.

Sua história, assim como a de todos os animais com histórico de vida em circo, é revelada quando notamos as marcas de tortura em seu frágil corpo, bem como em resultados de exames clínicos.

A História de Will

Em 28 de dezembro  de 2005, a equipe do Rancho dos Gnomos (Silvia, Marcos Pompeu e equipe técnica) dirigiu-se ao Rio de Janeiro-RJ para resgatar um leão que fora apreendido no circo Koslov e encaminhado para o RIOZOO, onde permaneceu por aproximadamente 60 dias.

Enquanto isso, um novo recinto estava prestes a ser concluído no Rancho, graças ao apoio de Karlinhos e Carolina, grandes amigos e parceiros. Foi o total empenho deste casal em solucionar tal caso que possibilitou o fim dos maus-tratos, exploração, abuso, violência e negligência para com o animal.

Motivados por uma reportagem publicada em um jornal local sobre o assunto, Karlinhos e Carolina deram início a uma longa e burocrática maratona em busca de uma solução para o leão que, naquele momento, ainda se encontrava nos bastidores do referido circo.

Foram imediatamente até o local em que o circo estava instalado e, como é de praxe, o mesmo já havia partido. Embora fosse muito grande a dificuldade de novamente localizá-lo, a busca pelo paradeiro do tal circo prosseguiu e, felizmente, resultou bem-sucedida.

Ao localizá-lo, e seguindo orientação do Jurídico do Rancho dos Gnomos, Karlinhos foi pessoalmente atestar a presença do leão no circo e constatar sua apresentação, lembrando que é proibido o uso de animais em espetáculos circenses no Estado do Rio de Janeiro (Lei Estadual Nº 3.714/01).

Indignado com a situação deplorável que presenciou e munido de fotos, Karlinhos prosseguiu com os trâmites legais indo até o Ministério Público protocolar uma representação encaminhada pela Dra. Renata de Freitas Martins, acompanhada das provas adquiridas.

Enquanto o inquérito civil MPRJ Nº 2005.001.22137.00 corria, Karlinhos também corria para conseguir os recursos necessários para a construção do recinto.

Finalmente, o dia do resgate chegou. Por volta das 14h do dia 29 de dezembro de 2005, a equipe do Rancho dos Gnomos chegou ao RIOZOO, onde foi possível constatar pessoalmente a triste situação em que também vivem os animais excedentes – no extra (bastidores) – dos ZOOs.

Em um compartimento de aproximadamente 2,5 m x 1,5 m, totalmente cimentado e com pouquíssima luminosidade, encontrava-se “Baby” (como era chamado o leão).

Após um dramático resgate realizado por funcionários do ZOO, a equipe do Rancho dos Gnomos finalmente pôde levar “Baby” para o seu novo lar em Cotia-SP.

“Baby” agora se chama “Will”, em homenagem ao filho do corajoso e excepcional casal Karlinhos e Carolina.

A história de Will foi concluída depois de um grande jogo de empurra entre o Ibama e o Sr. Vitor Fasano – na época, Secretário da SEPDA (Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais/RJ) – que, como sempre, nada fazem, nada resolvem.

Já no Rancho dos Gnomos, após o período de quarentena, mais uma etapa foi vencida, talvez a mais emocionante: a soltura de Will em um recinto construído especialmente para ele.

Will viveu majestoso no Rancho dos Gnomos.


Fonte: Santuário Rancho dos Gnomos

  • Compartilhe

  • Imprimir Imprimir
  • Comunicar Erro

Enviar para um amigo
Comunicar erro

eu apoio a anda

Sandra Peres

sandra-peres1-200x300

Eu tenho muita honra de poder ser uma colaboradora, de ter conhecido esse trabalho. Imagine ter uma Agência de Notícias

Sandra Peres
Cantora e líder, junto com Paulo Tatit, da Palavra Cantada

Cantora e líder, junto com Paulo Tatit, da Palavra Cantada

Heródoto Barbeiro

herodoto

Uma agência como a ANDA é muito importante para que nós jornalistas de uma maneira geral possamos receber pautas e desen

Heródoto Barbeiro
Jornalista

Jornalista

Veja todos os depoimentos »

Facebook
Você é o repórter
Siga a ANDA: