fbpx
quinta-feira, janeiro 23, 2020
Simone Nardi

O que é Vivissecção ?

Muita gente ouve falar sobre isso mas não faz a mínima ideia do que seja, vamos esclarecer a necessidade urgente de da criação de leis anti-vivissecção. Vivi é vivo e secção cortar. Vivissecção é cortar um animal vivo. Com o tempo o termo foi abrangendo outras coisas e significa qualquer procedimento onde você pega um animal vivo, induza um determinado estímulo nele e obtém um outro em troca. Existe a vivissecção invasiva e não invasiva. Se eu só colocar um porquinho da Índia,por exemplo, para tirar uma chapa de raio-x, é uma vivissecção não é invasiva e nem pode ser considerada antiética. Mas, por exemplo, se eu pegar um animal e cortá-lo, ou injetar qualquer coisa nele ou fazê-lo tomar uma droga oralmente, isso é vivissecção.
Eu sou animal - Dagomir Marquezi

O Monstro do Ano

Camilla Corrêa dos Santos. 22 anos. Enfermeira formada pela PUC de Goiás. Perfil fofinho no Twitter (“Sou tranquila, casada, amo meu marido, meu filho, meus cachorrinhos. Enfermeira por amor. Muuuito feliz”). Premio Monstro de 2011. Graças às redes sociais (e especialmente à ANDA) tivemos uma longa lista de barbaridades contra animais praticadas no Brasil. Esses horrores sempre aconteceram mas nunca tiveram tanta divulgação como agora. Camila Corrêa dos Santos fechou o ano com o prêmio de Monstro do Ano por algumas razões especiais: 1) ela brutalizou um minúsculo cão Yorkshire. 2) ela praticou seus atos de tortura em frente a uma câmera de vídeo, o que tira qualquer dúvida sobre seus atos. 3) ela ofereceu seu espetáculo de sadismo como forma de educação prática para a filha de 2 anos de idade. 4) ela teve a inspiração psicopata de culpar o cão pelo próprio martírio.
Cidadania – Rosana Gnipper e Andresa Jacobs

A defesa dos direitos animais nas Conferências de Saúde: espaços a ocupar

Dos 5.564 municípios brasileiros, 4.430 realizaram suas Conferências Municipais de Saúde em 2007, segundo dados da Comissão Organizadora Nacional. A 13ª Conferência Nacional de Saúde (CNS) , que aconteceu entre os dias 14 e 18 de novembro de 2007, em Brasília, teve a participação de quase cinco mil cidadãos, dentre gestores, prestadores de serviços, trabalhadores e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), na qualidade de delegados, além de observadores. Considerado o maior e mais importante evento de discussão sobre as políticas de Saúde no Brasil, a Conferência Nacional de Saúde é mais um espaço a ser gradativamente conquistado pelo movimento de defesa dos direitos animais, a partir da participação do processo nos municípios. Vamos refletir sobre os resultados dessas participações.
Palavra animal –Nina Rosa Jacob

Paz ambiental

Nossos irmãos dos reinos animal, vegetal e mineral, parceiros de Planeta, precisam muito de nossa atenção. Eles precisam ser vistos e ouvidos, não apenas como imagens distantes, num documentário, mas como seres reais, que dependem de nossa ajuda para viver. Estão sendo massacrados, não podem se defender sozinhos e nós estamos fazendo parte disso, de uma forma ou de outra.
Eduardo Pacheco

Information Warfare contra os direitos animais – parte 1

Information Warfare (IW, Infowar) é o uso racional de tecnologia da informação e de comunicação para conseguir vantagem contra um inimigo e promover uma ideologia, envolvendo propaganda, desinformação e manipulação do oponente e do público . É um conceito bem conectado com o Psychological warfare (PSYWAR), que é o uso de métodos para produzir efeitos psicológicos em outras pessoas, alterando nelas seus sistemas de valores, sistemas de crenças , emoções, racionalidade e comportamento.
Robson Fernando de Souza

Vaquejada: a essência de um "esporte" que explora animais

Ela ainda não é muito conhecida no restante do Brasil, mas é uma tradição muito popular no Nordeste, e se estende também a algumas cidades de outras regiões. “Valeu boi” é o bordão mais conhecido que se usa nela. Ainda mais óbvia do que no rodeio é a forma como o lado dos animais é desconsiderado, a exploração e agressão contra eles. Falo da vaquejada, o segundo grande “esporte” de uso de animais no Brasil.
Sonia Cruz

Viver sem carne – uma escolha saudável para as crianças

O vegetarianismo não é um fenômeno novo. O antigo filósofo e matemático grego Pitágoras e muitos dos seus seguidores abstiveram-se de comer carne e viveram de forma saudável e produtiva. Centenas de anos mais tarde, o movimento vegetariano Norte-Americano iniciou-se como reação a uma crescente industrialização e as mudanças sociais. Foi sobretudo apoiado pela doutrina religiosa da Igreja Cristã Bíblica (Bible Christian Church), que culpava a carne de ter um efeito devastador sobre o desenvolvimento e equilíbrio moral das pessoas.
Antonio pasolini

Sacrifícios animais por religiosos: algumas considerações

Esta semana eu estou seguindo um debate sobre sacrifício de animais em rituais religiosos que voltou à pauta por causa do PL 21/2015 de Regina Becker Fortunati que volta proibir o assassinato de animais nestes casos no Rio Grande do Sul. A exceção foi feita em 2004 e desde então vem incomodando os ativistas pelos direitos dos animais e, principalmente, os animais, que são obrigados a participar de um ritual macabro em nome de uma religião que alguém ESCOLHEU seguir.
Anderson Reichow

Êxodo

Jacques Derrida, filósofo dos mais instigantes do nosso tempo, e Elisabeth Roudinesco, historiadora e psicanalista, discutiram frontalmente em 2001 o assunto da violência contra animais. Roudinesco é arredia às ponderações de Derrida, que manifestou ter 'simpatia de princípio por aqueles que têm razão, e boas razões, para se erguerem contra a forma como os animais são tratados'.
Miguel dias pinheiro

Os animais: covardia e crime

Toda e qualquer pessoa tem o direito e o dever de relatar um crime presenciado contra um animal em qualquer delegacia de polícia. Segundo a Lei Federal n. 9.605/98, dos Crimes Ambientais, a denúncia de maus-tratos é anônima e proceder-se-á por meio de um Termo Circunstanciado (semelhante a um B.O), uma vez que os animais são considerados propriedade do Estado.
Educação e desenvolvimento – Henri Kobata

A ausência da felicidade

Um dia desses, em uma palestra para educadores, eu dizia que não podíamos esquecer nunca que os educandos estavam lá na sala de aula à procura da felicidade. E que nós, educadores, também. Que esse era o ponto de convergência das pessoas nas escolas, nos clubes, nas empresas e em todos os lugares. Em uma certa altura, uma professora levantou o braço e comentou em tom impaciente que, segundo a experiência dela de mais de 30 anos na educação, o que importava dentro de uma sala de aula era a metodologia eficiente para transmitir os conhecimentos aos alunos, para que eles se tornassem bons profissionais no futuro. E que a felicidade de cada um deles não era responsabilidade do professor.
Heron, Luciano e Tagore

Política Pública e a Guarda dos Animais de Estimação

Os animais de estimação são uma subcategoria de animais domésticos, e embora a expressão tenha aparecido há aproximadamente 1.500 anos, culturas mais antigas como a egípcia, a grega, a romana, a indígena e a polinésia já tinham o costume de se relacionar afetivamente com determinados animais.