domingo, novembro 17, 2019
CONTEÚDO ANDA

Em caso chocante de crueldade, 130 cães e gatos são resgatados de criador

Aproximadamente 130 animais mantidos em condições deploráveis foram salvos após uma operação que deflagrou uma “fábrica de filhotes” na Carolina do Norte (EUA). Uma denúncia anônima feita à autoridades locais levou a uma investigação na propriedade do Condado de Cabarrus. No inicio da semana, em posse de um mandado de busca e apreensão, a polícia e membros da instituição Humane Society of the United States (HSUS) entraram na propriedade e encontraram 105 cães, 20 gatos e três cabras alojados em condições descritas como “inseguras e insalubres”.
conteúdo anda

Ativistas denunciam o massacre dos animais durante Missa de Páscoa em NY

Os fiéis que compareceram à Missa de Páscoa na Catedral de St. Patrick's foram surprendidos com a interrupção de um grupo de ativistas. Eles emergiram do público e interromperam a cerimônia com a mensagem "A Páscoa é uma época de amor! Chega de derramar sangue animal!", enquanto exibiam placas com apelos dos animais por suas vidas.
Olimpíadas 2016

Ibama intensifica fiscalização em portos e aeroportos do país

Com o início dos Jogos Olímpicos, a segurança dos voos internacionais está sendo redobrada. O Ibama também faz parte do sistema de monitoramento que começou no dia 1º deste mês sobre os mais de dois mil embarques e desembarques previstos durante as Olimpíadas. O número de agentes de fiscalização nos aeroportos que fazem parte do circuito olímpico foi reforçado pelo Ibama, a fim de monitorar o ingresso e a saída de plantas, animais e substâncias que ameacem o meio ambiente ou degradem a biodiversidade brasileira. O Ibama atua para coibir o tráfico de animais silvestres, o transporte de espécies da nossa flora, o tráfico de substâncias químicas, bem como o porte de artefatos protegidos, como adornos indígenas, ossos, dentes, penas, quadros de borboletas, entre outros.
História de superação no Reino Unido

Campanha no Facebook salva vida de cachorra com deformação nas patas

As imagens a seguir contam a história de uma cirurgia memorável que transformou a vida de Belle, uma mestiça de greyhound. Antes da operação ela tinha patas deformadas que a faziam andar como uma aranha. Ela nascera com a deformidade, e foram feitas várias campanhas para bancar o tratamento que fortaleceria suas pernas. A imagem mostra Belle antes da cirurgia, com os cotovelos frontais voltados para fora; mas depois de dois rounds de cirurgia, ela agora se parece com um filhote comum e está em busca de um novo lar. Jennie Foxall-Lord, a administradora e fundadora do Mayflower Sanctuary em Doncaster, no Reino Unido, começou uma campanha há três meses no Facebook com apoio de dezenas de amantes de cães que ajudaram a erguer os três mil dólares necessários para a operação.
CONTEÚDO ANDA

Restos de dezenas de cães sacrificados há mil anos são encontrados em zoo no Peru

Conforme leões, tigres e ursos são explorados pelo maior zoológico do Peru, os arqueólogos procuram corpos de animais sacrificados há mil anos e enterrados no local.
EXPLORAÇÃO

Retrocesso: conselho de biologia autoriza contenção física e química de animais em pesquisas

O Conselho Federal de Biologia (CFBi) divulgou recentemente a Resolução nº 476 que, segundo o próprio documento, "dispõe sobre a atuação do Biólogo no manejo, gestão, pesquisa e conservação de fauna ex situ, e dá outras providências".
Vergonha nacional

Botos são alvo de matadores de aluguel na Amazônia

Animais que deveriam ser preservados são alvo de pessoas contratadas para matar. O crime encomendado virou comércio na Amazônia e atravessa fronteiras. O produto de exportação envergonha o Brasil. Um dos pescadores da Amazônia, que prefere não se identificar, diz que deixou a profissão para se tornar matador de botos. "Matamos cerca de 100 ou 200 botos por mês. A matança é muita. Puxamos o animal para dentro da canoa e matamos com facão, cassetete, essas coisas", diz ele. Segundo o matador, quem contrata o serviço busca o comércio de órgãos do animal, como olhos e partes reprodutivas. A carne do animal também serve de isca para a pesca da Piracatinga. O peixe, também chamado de urubu d’água por se alimentar da carne de animais mortos, é pouco conhecido na culinária brasileira, mas muito apreciado na Colômbia. A preocupação com os botos da Amazônia levou o pesquisador português do Programa Botos no Pará, Antônio Migueis, a investigar o comércio do urubu d’água. "O peixe vai para a Colômbia e para os Estados Unidos onde é usado como aperitivo em restaurantes", explica Antônio.
CONSCIENTIZAÇÃO

Ativista que libertou milhares de animais vai lançar livro sobre ação direta

A organização em defesa dos direitos animais Animal Liberation Front (ALF) vai lançar em janeiro o livro “Liberate: Stories and Lessons on Animal Liberation...
Perigo

Cão cai em bueiro após atropelamento e espera um dia por resgate

Moradores resgataram nesta sexta-feira (26) um cachorro que caiu em um bueiro no Bairro Porto Velho, em Divinópolis, Minas Gerais. O animal foi atropelado e caiu no local onde ficou por mais de 24 horas.
Cidadania

Saiba como denunciar casos de maus-tratos a animais no RJ

Assim como o vídeo da mulher queimando um cachorro e o caso do jovem que tatuou seu pit bull, muitos outros flagras de maus-tratos a animais são compartilhados nas redes. Poucos das pessoas que recebem, no entanto, não sabem a quais órgãos recorrer para denunciar essas situações.
Diversão garantida

Shopping em Brasília inaugura espaço exclusivo para cães

Agora ficou fácil para os animais gastarem energia! Nestas férias de verão, os tutores terão um espaço dedicado exclusivamente para a diversão dos cachorros, o ParkDog.
Animais Comunitários

Retirada de casinhas de cachorro das calçadas divide opiniões em Ivaiporã (PR)

O Departamento Municipal de Meio Ambiente de Ivaiporã (PR), recolheu uma casinha de cachorro que estava no canteiro da Avenida Brasil, e notificou quatro cidadãos que mantinham casinhas de cachorro em calçadas de residências ou empresas. A decisão foi motivada por queixas de mototaxistas, ciclistas, carteiros e pedestres, e principalmente dos idosos. O diretor do Departamento de Meio Ambiente, Jayme Ayres, afirmou que as pessoas não são impedidas de proteger os animais. “Mas é preciso respeitar a legislação”, disse. A decisão levou alguns defensores de animais a ser manifestar em redes sociais. Ayres citou a Lei 17.422/12, em vigor no Estado do Paraná, que versa sobre identificação e o registro dos animais; esterilização; adoção; controle de criadouros; e campanhas educadoras em guarda responsável.