sábado, setembro 21, 2019

Direitos dos Grandes Primatas

Microbiologista e empresário, o cubano naturalizado brasileiro Pedro A. Ynterian chegou ao país há mais de 30 anos e sempre foi um admirador de animais, em especial dos primatas.

Sua vida mudou completamente em 1999, quando comprou em um criadouro comercial Guga, um bebê chimpanzé de 3 meses de idade, com a ideia de criá-lo no apartamento que morava em São Paulo. Em pouco tempo ele percebeu que ter um chimpanzé como pet não fazia o menor sentido e esse foi o primeiro passo para a montagem do primeiro Santuário dos Grandes Primatas no Brasil, localizado em Sorocaba.

O resultado foi o grande envolvimento na questão de proteção e defesa dos direitos dos grandes primatas e a filiação ao movimento internacional GAP – Great Ape Protection. As atividades de denúncia, resgate de animais vítimas de maus-tratos e divulgação de informações ganharam muita notoriedade e desde setembro de 2008 o Brasil foi eleito como sede do Projeto GAP Internacional, tendo Dr. Pedro como seu presidente. Atualmente ele ocupa o cargo de Secretário Geral, coordenando as atividades de divulgação do projeto.

No Brasil o GAP tem quatro santuários afiliados, entre os quais o de Sorocaba, que juntos abrigam mais de 80 chimpanzés, entre outros animais resgatados de maus-tratos em circos, zoológicos e outras atividades comerciais.

 

Cem dólares por um urso

Apesar dos protestos, desde sua proibição em 1994, no dia 24 de outubro o Estado da Flórida permitirá que 1900 caçadores disputem um urso negro durante dois dias. Para ter essa absurda oportunidade de matar um urso, se você é caçador residente na Flórida pagará 100 dólares; se é de fora do Estado, 300 dólares. Todas as licenças já foram vendidas e os municípios do sul da Flórida, perto de Miami, serão o “teatro de operações” de 1900 humanos, que não merecem nem esse nome, onde disputarão 320 infelizes ursos que lá existem. Uma população estimada de 3000 ursos existe em vida livre na Flórida. E não é nada comparada com a população humana e com os recursos existentes nestes municípios do chamado primeiro mundo, que poderiam estabelecer programas eficientes de proteção para eventuais encontros com animais selvagens em seu quintal. A Flórida se converterá no paraíso dos assassinos de animais inocentes.

O nosso maior Projeto

Nos próximos dias, o Projeto GAP e suas representações em todo mundo irão circular entre todas as redes sociais e veículos de imprensa, o lançamento do seu maior Projeto: reconhecer as quatro espécies de grandes primatas como “Patrimônios Vivos da Humanidade”. Esse pedido, justo, científico, ético, moral, emocional e solidário, será encaminhado por milhares de cidadãos do mundo a UNESCO.

Massacre de ursos na Flórida

O dia 24 de outubro é a data marcada pelas autoridades eufemisticamente consideradas de proteção à Fauna Norte-Americana, no Estado da Flórida, para começar a caçada aos ursos negros selvagens. Em dois dias, 320 devem ser aniquilados, a tiros de fuzil, por mais de 1.900 caçadores registrados para esse massacre oficial. Os protestos dos ambientalistas de nada tem adiantado. Semanas atrás, os caçadores já preparados para o massacre lotavam salões de um hotel de Fort Lauderdale, quando se discutia a operação a ser realizada em outubro. Na parte de fora, ambientalistas com cartazes rechaçavam o plano. Esta caçada será a primeira oficialmente autorizada em 20 anos. Em 1994, foram proibidas as caçadas, como uma forma de proteger a espécie que estava sendo extinta. Em 2012, as autoridades contabilizaram a existência de mais de 3.000 ursos em vida livre, após estes anos de proteção da integridade deles.

O caso Sandra

Sandra, orangotango fêmea de 30 anos de idade, nascida na Alemanha, se encontra em um limbo no Zoológico de Buenos Aires. O Diário La Nación, da Argentina, publicou hoje uma matéria em que recapitula o seu caso e menciona a possibilidade de que seja transferida para o Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba, afiliado ao Projeto GAP, nos próximos meses.

A aventura de Caco

Segunda-feira (14/09), foi um dia atípico no Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba. Eram 11:00 h e um chamado de alerta nos avisou que o chimpanzé Caco tinha escapado. Colocamos em andamento o nosso sistema de emergência para esses casos, avisando a todos que se protegessem, até que aqueles que tinham mais intimidade com ele o localizassem. Um pandemônio de gritos explodiu no Santuário, o que é comum quando algum chimpanzé escapa e começa a visitar seus colegas de recintos vizinhos. Caco era novidade para a maioria, nunca tinha escapado em 12 anos e poucos o conheciam, já que devido ao seu histórico de doença mental, mora com July e tem acesso a vários recintos junto aos lagos, onde a maioria dos outros chimpanzés só tem acesso visual e à distância.

Dia Mundial dos Grandes Primatas

O Presidente de Ruanda, Paul Kagame, também reforçou o pedido de Serra Leoa e da República do Congo de que a ONU considere o dia 9 de Setembro como o Dia Mundial dos Grandes Primatas. O Presidente Kagame fez o anúncio no dia 5 de Setembro passado, em uma cerimônia no Parque Nacional dos Vulcões, moradia dos últimos grupos de Gorilas das Montanhas em vida livre.

Darwin está morto

Com este apelo, o Procurador Geral da Nação Argentina, Julio Conte-Grand, publicou uma matéria no influente Jornal La Nacion do país irmão no qual critica a possibilidade de que a Juíza Dra. Elena Amanda Liberatori reconheça à Sandra, orangotango que vive solitária no Zoológico de Buenos Aires, os direitos básicos de uma pessoa não-humana e possa ser trasladada para um Santuário, deixando de ser explorada comercialmente na exibição de um Zoológico.

Charles: um inconformado

O seu corpo estendido no chão, olhando para o teto, sua boca semi aberta, seus lábios e mucosas de cor azulada. A falta de oxigênio nos minutos finais que detonaram sua vida era evidente. Ainda era cedo, na manhã quando fui colocar sua primeira refeição ele não estava por lá. Vi as fatias de pão sem mexer, do dia anterior, o que nunca tinha acontecido antes. Charles não deveria sentir-se bem, pensei. Porém, não o procurei. Minha voz desatava nele uma fúria intensa e o transportava a algum passado já remoto de alguém, como eu, que deve tê-lo machucado profundamente. No primeiro dia de Charles no Santuário, eu encostei na grade e apoiei meu tênis, que geralmente todos gostam de apreciar, mas esta vez a reação dele foi imediata, tentou segurá-lo. O seu objetivo era arrancar o tênis e atingir o meu pé. Rapidamente me livrei de sua força imensa. Essa foi a sua recepção para mim.

Steven Wise: Mister Habeas Corpus

Em sua peregrinação pelos tribunais Norte-Americanos, alguns já o chamam de “Mr. Habeas Corpus“. Este advogado de 64 anos de idade, professor da Universidade de Harvard, escritor e também químico, é um otimista confesso e considera que já falta muito pouco para que um Juiz ou Juíza Norte-Americanos autorize um Habeas Corpus impetrado por ele para resgatar dos maus-tratos um grande símio.

Morre Gertrude: torturada em vida

Ela nasceu em Serra Leoa, Oeste da África, no início da década de 70. Em 1975, foi capturada e seus pais possivelmente foram mortos num programa de captura alucinada de bebês chimpanzés na África, para enviá-los à América do Norte, para projetos de experiências médicas. O destino era a Base da Força Aérea Holloman, em Alamogordo, Estado do Novo México. Nesta base morreram dezenas de chimpanzés torturados selvagemente durante anos a fio. Gertrude tinha menos de 5 anos quando chegou. No primeiro ano foi anestesiada pelo menos 30 vezes, com o único propósito de tirar sangue. Seu fígado também foi perfurado repetidamente para fazer biópsias.

Morre Jambi

O Zoológico de Chapultepec, na capital mexicana, anunciou no dia 23, em nota à imprensa, a morte do orangotango Jambi, que, junto com seu irmão Toto, vivia há mais de 24 anos no zoo. Recentemente lhes foi negada sua transferência ao Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba, afiliado ao projeto GAP. A Diretora do Projeto GAP do México, Paulina Bermudez, convocou no domingo dia 26 um ato público em frente ao Zoológico, em protesto pela morte prematura de Jambi, nascido em 1990, e que vivia em estado depressivo pelas condições desumanas do recinto que compartilhava com seu irmão Toto, um ano mais novo.

Habeas Corpus nas Américas

O debate que se leva a cabo na corte Suprema de Nova Iorque pelos Direitos que dois chimpanzés – Hércules e Léo – possuem de viver livres, com seus iguais, num Santuário em Florida, em vez de ficarem a vida toda em jaulas em um centro de experimentação biomédica da Universidade Stony Brook, pode terminar no reconhecimento norte-americano dos direitos básicos dos Grandes Símios. A juíza Barbara Jaffe aceitou o pedido de Habeas Corpus apresentado em nome dos chimpanzés pela Organização Nonhuman Rights Project (Projeto de Direitos para os não Humanos) em forma temporária, solicitando que a Universidade se pronuncie e justifique a necessidade de manter prisioneiros os dois chimpanzés inocentes.