fbpx
quinta-feira, abril 9, 2020
Início Colunistas Direitos dos Grandes Primatas

Direitos dos Grandes Primatas

Microbiologista e empresário, o cubano naturalizado brasileiro Pedro A. Ynterian chegou ao país há mais de 30 anos e sempre foi um admirador de animais, em especial dos primatas.

Sua vida mudou completamente em 1999, quando comprou em um criadouro comercial Guga, um bebê chimpanzé de 3 meses de idade, com a ideia de criá-lo no apartamento que morava em São Paulo. Em pouco tempo ele percebeu que ter um chimpanzé como pet não fazia o menor sentido e esse foi o primeiro passo para a montagem do primeiro Santuário dos Grandes Primatas no Brasil, localizado em Sorocaba.

O resultado foi o grande envolvimento na questão de proteção e defesa dos direitos dos grandes primatas e a filiação ao movimento internacional GAP – Great Ape Protection. As atividades de denúncia, resgate de animais vítimas de maus-tratos e divulgação de informações ganharam muita notoriedade e desde setembro de 2008 o Brasil foi eleito como sede do Projeto GAP Internacional, tendo Dr. Pedro como seu presidente. Atualmente ele ocupa o cargo de Secretário Geral, coordenando as atividades de divulgação do projeto.

No Brasil o GAP tem quatro santuários afiliados, entre os quais o de Sorocaba, que juntos abrigam mais de 80 chimpanzés, entre outros animais resgatados de maus-tratos em circos, zoológicos e outras atividades comerciais.

 

Direitos dos grandes primatas - dr pedro a. ynterian

A desesperação da solidão

Eu já vi refletida no olhar de muitos primatas humanos ou não, a maioria prisioneiros políticos, com os quais convivi em etapas de minha vida. Não era só a solidão física de não ter alguém para compartilhar e até amar, era a solidão do abandono, do futuro, do rancor de seu entorno. Toto é um deles. Quando chegou ao Santuário semanas atrás, não o compreendíamos, buscava o isolamento no canto mais escuro do seu dormitório, rodeado de cobertores e tecido não tecido (TNT).
Direitos dos grandes primatas - dr. pedro a. ynterian

2050: Existirão chimpanzés?

Em vida livre sem dúvida não. Anos antes também serão extintos os bonobos, os gorilas e os orangotangos. Também já terão desaparecido da natureza os elefantes, os leões, os tigres, os rinocerontes, os hipopótamos e a maioria dos grandes mamíferos terrestres.
Direitos dos grandes primatas - dr. pedro a. ynterian

Steven Wise: Mister Habeas Corpus

Em sua peregrinação pelos tribunais Norte-Americanos, alguns já o chamam de “Mr. Habeas Corpus“. Este advogado de 64 anos de idade, professor da Universidade de Harvard, escritor e também químico, é um otimista confesso e considera que já falta muito pouco para que um Juiz ou Juíza Norte-Americanos autorize um Habeas Corpus impetrado por ele para resgatar dos maus-tratos um grande símio.
DIREITOS DOS GRANDES PRIMATAS - DR. PEDRO A. YNTERIAN

Debate aberto: zoológicos devem existir?

Nos próximos dias a Prefeitura do Rio de Janeiro estará analisando, talvez de fontes privadas, propostas para arrendar o Zoológico da cidade, que está fechado devido a dezenas de irregularidades e maus tratos aos animais, tristemente lá hospedados. O conceito de zoológicos é totalmente ultrapassado, mas o Brasil ainda insiste que devem existir e sejam locais de divertimento de humanos e de sofrimento de animais. Para enriquecer este debate, pegamos emprestada a opinião de Carlos Magno Abreu, analista ambiental do Ibama, que já esteve envolvido nesse mundo de zoológicos e tráfico de animais, como relata em seu livro a Operação Boitatá e a Serpente de um Milhão de Dólares.

O dilema de Dória – “Zoológico: fechar ou privatizar?”

Um anúncio do Governador de São Paulo, João Dória, publicado dias atrás, indica que um projeto está sendo montado para privatizar o Jardim Botânico, que tem um déficit anual de quatro milhões de reais, juntando ao Zoológico de São Paulo e ao Parque Simba Safari, que operam juntos e geram um pequeno superavit.