sexta-feira, julho 10, 2020
Questão de ética - sônia t. felipe

Animais: objetos do cenário ambiental?

Há algo errado na Constituição e nas Leis que a regulamentam, no que diz respeito ao tratamento devido a quem tira a vida de um animal. Os animais ditos silvestres são considerados parte do cenário natural. Quem os mata responde à Lei dos Crimes Ambientais - LCA. Quem retira uma peça do cenário mexe no layout da vida natural e deve responder por tal crime. A vida de um animal silvestre é considerada parte da vida do resto da natureza. Que é parte da vida, não se duvida. Que essas vidas dependem do cenário natural para poder seguir existindo, também não se duvida. Mas que sejam apenas peças do cenário, sem qualquer estatuto moral próprio, isso não faz o menor sentido.
Tao do bicho - paula brügger

Paris ensanguentada

Imagine passear pelas ruas de Paris e encontrar rastros de violência por toda parte. Ficção? Vestígios dos acontecimentos de um passado distante? Não, realidade hoje. É claro que tais sinais de violência, embora “rastreáveis”, não são diretamente visíveis, a não ser que você seja vegana.
Escrita Libertária - Robson Fernando de Souza

Sobre a “imposição de ideologias na alimentação”

De vez em quando, carnistas vêm acusar os vegetarianos e veganos de estarem “impondo sua ideologia” às crianças, através do condicionamento delas a uma dieta livre de alimentos de origem animal (ou simplesmente livre de carne, no caso de pais ovolactovegetarianos). Segundo eles, estamos “violando a liberdade alimentar” dos nossos filhos, impedindo-os de “escolher” o que querem comer. Então dirijo algumas perguntas aos carnistas que nos dirigem tais acusações. Caros antivegetarianos, nos respondam: 1. Vocês permitem a seus filhos, mesmo muito pequenos, escolher livremente o que querem comer? Acreditam que crianças de quatro ou cinco anos de idade têm discernimento e conhecimento de Nutrição para selecionar os alimentos que desejam e os que rejeitam? Ou vocês fazem o que nós fazemos – impor aos pequeninos o perfil alimentar que os pais acreditam ser o melhor para eles?
Questão de ética - Sônia T. Felipe

De Cecil no Zimbábue à Cecília na Argentina: o caso de pessoas não humanas

Foi negado o direito de liberdade à chimpanzé Cecília, uma jovem virgem (o termo, em aramaico, quer dizer: aquela que ainda não pariu) de 19 anos, nascida de pai e mãe também cativos, em 1996. A alegação da justiça argentina é de que não se deve aplicar aos animais outros que não os humanos o conceito de pessoa, nem derivar direitos inerentes a qualquer pessoa humana, tais quais o da liberdade, o da autonomia prática (Stevem M. Wise), e o do respeito aos interesses e direitos fundamentais relacionados à vida específica, para atender aos direitos de não humanos.
FILOSOFIA E LIBERTAÇÃO ANIMAL - REGINA SCHÖPKE

Na defesa dos animais, a luta humana contra todas as tiranias

Quando Voltaire chamou de estúpida a ideia de que os animais são seres destituídos de sentimentos de emoções, era a Descartes (e a sua ignóbil noção de “máquinas sem alma”) que ele pretendia atingir. Afinal, mostrar os animais como engrenagens ocas, vazias, que nada sentem (nem dor, nem amor, nem alegria, nem coisa alguma) serviu de justificativa para toda a forma de exploração e de abusos cometidos contra eles. É claro que pode soar estranho que algumas pessoas deem tanta atenção ao bem-estar dos animais quando os próprios homens não se entendem, se matam e se escravizam.
Educação Vegana - Leon Denis

Didática da provocação

Talvez a característica mais fantástica da tal rebeldia juvenil seja a provocação. São provocativos. É nessa fase turbulenta da trajetória biográfica humana que temos um abuso do ato de provocar – às vezes até o limite –, os pais, os professores e as outras “autoridades”. Parece-me que sentem um prazer quase que orgástico com tal prática. Também sou um grande admirador das provocações. Porém, não sigo o estilo juvenil rebelde sem causa, do tipo vou cutucar a onça com vara curta só para ver no que vai dar. Meu método provocativo tem outras bases, uma delas é a maiêutica socrática. Sócrates dizia que era sua missão fazer partos de almas. Isso é que é missão por excelência; provocar almas adormecidas a despertarem.
Direitos dos Grandes Primatas - Dr. Pedro A. Ynterian

Morre Jambi

O Zoológico de Chapultepec, na capital mexicana, anunciou no dia 23, em nota à imprensa, a morte do orangotango Jambi, que, junto com seu irmão Toto, vivia há mais de 24 anos no zoo. Recentemente lhes foi negada sua transferência ao Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba, afiliado ao projeto GAP. A Diretora do Projeto GAP do México, Paulina Bermudez, convocou no domingo dia 26 um ato público em frente ao Zoológico, em protesto pela morte prematura de Jambi, nascido em 1990, e que vivia em estado depressivo pelas condições desumanas do recinto que compartilhava com seu irmão Toto, um ano mais novo.
Direitos dos grandes primatas - dr pedro a. ynterian

A troca

Não sabemos o que se esconde nessa preferência e porque alguns indivíduos a desenvolvem, mas o amor por calçados do tipo tênis é algo que alguns chimpanzés manifestam a todo momento. Guga, Noel, Carlos, Tião, Cláudio, Emílio e Luke, todos eles desejam ter um tênis com eles, mas acho que Guga é o mais fanático.
Direitos dos Grandes Primatas - Pedro A. Ynterian

Zoológicos para quê?

No sábado passado, 28 de janeiro, a Folhinha de São Paulo, um encarte semanal para o público jovem do jornal Folha de São Paulo, lançou uma polêmica sobre a existência dos zoológicos, da qual vale a pena particip
Vegetariando por aí - Daniele e Tiago

Vegetariando por Buenos Aires: do tango ao rango. Parte I

Sejam todos bem-vindos à nossa coluna, Vegetariando por aí! Aqui vocês encontrarão como é possível e gostoso fazer um turismo de maneira ética e libertadora. Em nosso primeiro artigo, gostaríamos de compartilhar com vocês uma recente viagem que fizemos no início de janeiro deste ano para um lugar, que é muito conhecido por manifestações e ótimas comidas.
abrindo jaulas - leonora esquivel

Matamos Excalibur por precaução

Desde que passou a ser conhecido que o Departamento de Saúde da Comunidade de Madrid iria sacrificar Excalibur, o cão que vivia com a enfermeira infectada com ebola, para evitar o risco de contágio, mais de 30.000 pessoas assinaram nas redes sociais para tentar frear essa medida. No entanto, o conselheiro madrilenho para saúde, Javier Rodríguez, disse que “não havia nenhuma alternativa além de sacrificá-lo”. Nem sequer o recurso contra a ordem autonômica, nem a solicitação de suspensão como medida cautelar que interpôs o Partido Animalista (Pacma), surtiram efeito.
PLANETA ANIMAL - RICARDO LUIZ CAPUANO

Síndrome do macho frustrado ou Por que homens não castram gatos machos

“Em psicologia, projeção é um mecanismo de defesa psicológico em que determinada pessoa "projeta" seus próprios pensamentos, motivações, desejos e sentimentos indesejáveis numa ou mais pessoas ( Sigmund Freud). Para alguns psicanalistas e psicólogos trata-se de um processo muito comum que todas as pessoas utilizam em certa medida. Peter Gay define projeção como "a operação de expulsar os sentimentos ou desejos individuais considerados totalmente inaceitáveis, ou muito vergonhosos, obscenos e perigosos, atribuindo-lhes a outra pessoa”.