ÓRFÃO

Furão recém-nascido tem sua vida salva após ser resgatado por gato

Mariana Dandara | Redação ANDA

O ato heroico do gato salvou a vida do pequeno furão, que não teria resistido sozinho na rua


Escute

Foto: Prefeitura de Jaraguá do Sul/ Divulgação

Recém-nascido, um filhote de furão poderia ter morrido não fosse a atitude de um gato que o trouxe para casa para protegê-lo. Ao se deparar com a cena, o tutor do animal encaminhou o filhote para uma instituição que acolhe animais silvestres. 

Encontrado na cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, o furão deve ser encaminhado para um centro de reabilitação antes de ser devolvido à natureza. 

A suspeita é de que o gato, ao perceber que o filhote estava em situação de risco, tenha o resgatado às margens do Rio Itapocú, no bairro Czerniewicz.

Sob a responsabilidade da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama), o furão tem recebido todos os cuidados necessários desde sábado (5), quando foi encaminhado à instituição após ser levado pelo tutor do gato à sede do Corpo de Bombeiros. 

Foto: Prefeitura de Jaraguá do Sul/ Divulgação

A assessoria de comunicação da Fujama informou que o homem levou o filhote aos bombeiros por não saber de que espécie se tratava. Preocupado com o bem-estar do animal, ele o socorreu prontamente. 

Biólogo do Fujama, Christian Raboch Lempek disse ao G1 que o recém-nascido recebeu os primeiros socorros e tem reagido bem ao tratamento. Ele foi aquecido e está sendo alimentado através de uma seringa, por meio da qual lhe é oferecido, a cada duas horas, um leite específico para a espécie. 

A atual condição clínica do filhote tem total relação com a ação rápida do tutor do gato. Segundo Lempek, “a atitude do morador de procurar ajuda para o filhote foi bastante correta e decisiva para garantir a sobrevivência dele”.

Nativo do Brasil, o furão é protegido por lei. A criação em cativeiro é crime e pode ser punida com até um ano de reclusão, além de multa. Ao contrário do curso exótico, que não é nativo da fauna brasileira e que segue sendo explorado para venda por ter criação doméstica autorizada pela legislação. 

Foto: Prefeitura de Jaraguá do Sul/ Divulgação

Telas protegem gatos dos perigos da rua

As telas de proteção são importantes para proteger não só os bebês, mas também os animais. Em apartamentos, devem sempre ser utilizadas por famílias que tutelem cachorros ou gatos. Nas residências, deve ser estudada a necessidade do uso das telas no caso de casas onde vivem apenas cães – se o muro for alto e o portão for fechado, provavelmente não será preciso telar o imóvel. No entanto, em propriedades onde vivem gatos é sempre necessário usar as telas de proteção – seja nas janelas, mantendo o gato dentro de casa, ou no quintal. 

As ruas são perigosas para os animais, que podem ser envenenados, agredidos, atropelados, além de correrem o risco de adquirir doenças ou sofrer ferimentos em brigas com outros animais.

Atualmente, há diversas empresas especializadas em telas de proteção. Para aqueles que necessitarem investir menos dinheiro, é possível comprar a tela e ganchos em lojas de material para construção e fazer a aplicação por conta própria.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

RECONHECIMENTO

PRESERVAÇÃO

VAQUINHA ON-LINE

FINAL FELIZ

LEALDADE

COMPROMISSO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>