MUDANÇA DE PARADIGMA

Indústria global de energia renovável cresce na taxa mais rápida desde 1999

Laura de Faria e Castro | Redação ANDA

Novos projetos de energia eólica e solar na China, Europa e EUA geraram aumento de 45% na taxa de nova capacidade


Escute
Foto: Pixabay

A indústria mundial de energia renovável cresceu em seu ritmo mais rápido desde 1999 no ano passado, apesar da interrupção causada pela pandemia de Covid-19, e pode ter estabelecido um padrão de crescimento no futuro, de acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA).

A agência internacional de energia revelou que a entrega de projetos de energia renovável, incluindo parques eólicos e projetos de energia solar, cresceu 45% no ano passado, em uma mudança radical para a indústria global.

A capacidade de energia eólica dobrou no último ano, enquanto a energia solar cresceu quase 50% a mais do que seu crescimento antes da pandemia, devido ao crescente apetite por energia limpa de governos e corporações.

O aumento recorde em energia renovável no ano passado deve se tornar o novo normal [titulo do gráfico]

O boom de energia limpa levou a IEA a revisar suas previsões de energia renovável para os próximos anos em cerca de 25% em relação às estimativas de crescimento anteriores, devido à expansão mais rápida do que o esperado das energias renováveis ​​na China, Europa e Estados Unidos.

Fatih Birol, o diretor executivo da IEA, disse que os governos precisam “aproveitar este momento promissor”, colocando em prática políticas que “encorajem um maior investimento em energia solar e eólica, na infraestrutura de rede adicional que exigirão, e em outras fontes renováveis tecnologias como hidrelétricas, bioenergia e geotérmica”.

“Uma expansão massiva da eletricidade limpa é essencial para dar ao mundo uma chance de atingir suas metas líquidas de zero”, acrescentou Birol.

A China continua no centro do crescimento da indústria de energia renovável, após ter respondido por mais de 40% do crescimento global do mercado nos últimos anos. É também um dos maiores fornecedores das matérias-primas necessárias para fazer turbinas eólicas e painéis solares, incluindo silício, vidro, aço, cobre e outros materiais de terras raras.

No entanto, a China também é o maior emissor mundial de gases de efeito estufa devido ao uso de usinas termelétricas a carvão para atender à crescente demanda de energia do país.

O presidente do país, Xi Jinping, prometeu que a China se tornará neutra em carbono até 2060, mas especialistas alertaram que será necessário desenvolver energia renovável suficiente para fechar quase 600 de suas usinas movidas a carvão nos próximos 10 anos para atender este alvo.

É esperado que, a passagem de um prazo chave para subsídios estatais para industrias na China, irá fazer com que o crescimento em energia renovável do país desacelere nos próximos anos. Mas a IEA acredita que a crescente demanda por energia limpa na Europa e nos EUA manterá o crescimento anual da indústria global próximo ao nível do ano passado.

Heymi Bahar, o principal autor do relatório da IEA, descreveu o boom das energias renováveis ​​do ano passado como “sem precedentes” porque, embora tenha correspondido à taxa observada pela última vez em 1999, a indústria se tornou muito maior nas últimas duas décadas.

Ele disse que os níveis recordes de leilões do governo para novos projetos de energia renovável combinados com um número crescente de empresas que buscam mudar para as energias renováveis ​​impulsionaram o “aumento excepcional”, que deve se tornar “o novo normal para as energias renováveis”.

“O ímpeto vem das empresas e do governo”, acrescentou.

As últimas previsões da IEA não levam em consideração o novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, cuja administração deve estimular uma taxa ainda mais rápida de crescimento das energias renováveis. Biden prometeu cortar as emissões dos EUA pela metade nos próximos 10 anos.

No Reino Unido, o crescimento da indústria eólica offshore está previsto para representar um quarto da capacidade eólica offshore do mundo até 2022, tornando-o o único país do mundo a ter mais energia eólica gerada em sua costa do que em suas terras.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RECONHECIMENTO

PRESERVAÇÃO

VAQUINHA ON-LINE

FINAL FELIZ

LEALDADE

COMPROMISSO

ESPECIAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>