"RELUZ NA ESTRADA"

Campanha conscientiza motoristas sobre o atropelamento de animais silvestres

Reserva Natural Reluz (em colaboração para a ANDA)


Escute
Foto: Renata Bomfim

A Reserva Natural Reluz dedica-se a cuidar do meio ambiente, dando especial atenção ao bem-estar animal. Essa Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), de orientação vegetariana, faz do amor pelos seres da floresta uma motivação para o desenvolvimento de variadas ações e projetos de proteção da vida silvestre.

No momento, a Reserva Natural Reluz está pondo em prática o projeto “Revoar”, que consiste na construção de um viveiro de reabilitação e soltura de pássaros silvestres, realizado em parceria com o IBAMA, objetivando reintroduzir na natureza pássaros silvestres apreendidos pela polícia ambiental vítimas de tráfico, atropelamento, cativeiro irregular, ferimentos por linhas de cerol, entre outros tipos de crimes ambientais.

Foto: Renata Bomfim

Atualmente, a Reluz está colocando em prática, juntamente com o projeto “Cinema rodoviário”, da PRF/ES, a campanha “Reluz na Estrada”, que visa alertar os motoristas sobre as consequências nefastas que o atropelamento de animais traz para o meio ambiente.

Essa ação educativa visa chamar a atenção das pessoas para que reflitam sobre o impacto de suas ações ao volante, de forma que adotem atitudes responsáveis nas estradas, especialmente no tocante à alta velocidade, responsável pela morte de milhares de animais.

A parceria com a PRF/ES, cujas ações de educação e segurança no trânsito estão alinhadas com os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) propostos pela ONU e visam reduzir o número de acidentes trânsito em 50%, é um passo importante que Reserva Natural Reluz dá para o fortalecimento de suas ações em prol dos animais silvestres.

Foto: Renata Bomfim

Atitudes insustentáveis como não respeitar as normas e leis de trânsito, dirigir alcoolizado ou sob a influência de drogas, não utilizar o cinto de segurança e falar ao celular, fazem com que a taxa de mortes por acidentes no Brasil seja superior as da Europa, América do Norte, Oriente e demais países da América do Sul, segundo relato do Movimento capixaba para salvar vidas no trânsito (Movitran). No Espírito Santo, os dados são alarmantes, em 2015 o estado ocupou a décima terceira posição no ranking de acidentes e, em 2016, o décimo quinto lugar.

As mortes no trânsito superam as por suicídio e por variadas doenças como HIV, infecções respiratórias, doenças cardíacas e acidentes como o afogamento, superando também as mortes por conflitos entre pessoas e grupos.

Essa campanha chama a atenção dos motoristas para o fato de que não são apenas as pessoas que morrem no trânsito, milhares de animais morrem atropelados nas estradas todos os anos e a vida desses seres, assim como as humanas, são importantes!

Foto: Renata Bomfim

É sabido que o antropocentrismo marcou a história do mundo ocidental, relegando a natureza e, especialmente aos animais, um lugar inferior ao do ser humano. O historiador José Teixeira de Oliveira na obra História do Estado do Espírito Santo (2008) nos faz saber que em 1551, quando aportaram na capitania do Espírito Santo os primeiros Jesuítas, mais de 90% do território era coberto por Mata Atlântica, Padre Afonso Brás teria dito: “Es esta tierra donde al presente estoy, la mejor e más fertil de todo el Brasil”. De lá para cá, a ganância, a crueldade, a ambição e o individualismo excessivo fizeram com que o patrimônio natural capixaba fosse delapidado. Resta pouco da Mata atlântica e esse remanescente, cerca de 8%, e seus habitantes, verdadeiros sobreviventes, são preciosos e precisam ser protegidos.

Vivemos um momento de extrema importância para o planeta, defender a vida silvestre é defender a nós mesmos, esse é um momento oportuno para as pessoas refletirem sobre os impactos de suas ações, valores e se reconhecerem parte da natureza também.

No Espírito Santo, as rodovias federais passam próximas a Reservas ambientais públicas e privadas, a BR 101, ao norte, literalmente atravessa a Reserva Biológica de Sooretama, atropelando muitos animais que necessitam, por variados motivos, – alimentação, acasalamento, entre outros-, se deslocarem. É alarmante o número de animais atropelados nas rodovias federais do Espírito Santo e esse assunto precisa passar a fazer parte das discussões que envolvem a engenharia e as ações de educação para o trânsito.

A problemática do atropelamento de animais silvestres se estende, também, para animais domésticos como cães e gatos, que são abandonados nas rodovias e também acabam sendo atropelados.

A sustentabilidade no trânsito depende da atitude de cada cidadão, as escolhas conscientes ao volante farão das rodovias brasileiras um local seguro para vidas humanas e não humanas.

Foto: Renata Bomfim

A campanha “Reluz na Estrada”, deseja chamar a atenção para essa realidade que ameaça seriamente a fauna capixaba e conta com o apoio da lei Rubem Braga, da Prefeitura Municipal de Vitória e da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras (AFESL), que doaram livros de autores capixabas para serem ofertados para os motoristas que participarem dessa campanha.

Além de sensibilizar motoristas e passageiros para a importância de que cada cidadão se envolva com a proteção da vida silvestre, levando em conta o valor da vida dos animais e seu direito à existência, a campanha cumpre o papel de divulgar obras produzidas no Espírito Santo, dando visibilidade a variados escritores e escritoras capixabas, que serão lidos durante a viagem e também quando os leitores chegarem aos seus destinos.

Os livros foram ofertados como presentes de Natal e essa ação acontecerá juntamente com o “Cinema Rodoviário”, que exibiu campanhas recentes de prevenção a acidentes no trânsito.

A parceria entre a Reserva Natural Reluz e a PRF/ES, por meio dessa ação integrada que envolve cultura, meio ambiente e segurança pública, se apoia na crença comum na força da linguagem da arte e no poder transformador da educação sobre o ser humano.

Fonte: Reserva Natural Reluz


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR

VIDA NOVA

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA

GENEROSIDADE

REABILITAÇÃO

EMPATIA

RECEPÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>