MOBILIZAÇÃO

Ativistas lutam pela manutenção de veto à proposta que libera tração animal em Guarulhos (SP)

Mariana Dandara | Redação ANDA

O projeto, que condena os animais - especialmente os cavalos - à exploração e aos maus-tratos, foi aprovado pela Câmara em abril


Escute
Foto: Freepik

Ativistas da causa animal iniciaram uma campanha em prol da manutenção do veto ao projeto de lei que altera o Código de Proteção e Bem-estar Animal do Município de Guarulhos para liberar charretes e outros meios de transporte de tração animal. Em consonância com os anseios dos ativistas, o prefeito de Guarulhos (SP), Gustavo Henric Costa, conhecido como Guti (PSD), recentemente vetou o PL, que será votado novamente na Câmara Municipal.

O projeto, que condena os animais – especialmente os cavalos – à exploração e aos maus-tratos, foi aprovado pela Câmara em abril. No dia da votação, 26 vereadores votaram a favor da proposta e apenas três deram votos contrários ao PL (Geleia Protetor, do PSDB; Marcelo Seminário, do PT; Jaime Junior, do Republicanos).

Temerosos diante da possibilidade das charretes voltarem a ser liberadas na cidade, os ativistas iniciaram uma mobilização por meio da qual solicitam que mensagens sejam enviadas ao vereadores para conscientizá-los a respeito da necessidade de livrar os animais do fardo de sofrer em prol de transportar e entreter a população (confira a lista dos parlamentares ao final da reportagem).

Uma das instituições que integram essa campanha é o Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal. Diretora técnica da entidade, a médica veterinária Vânia Plaza Nunes acredita que não há mais espaço na sociedade para a exploração de animais em veículos de tração.

“Existe uma população favorável a essa prática de exploração. Gostam de passeios de charretes, de corridas, de trote, uma série de práticas que não cabem mais no dia de hoje, especialmente se a gente pensar em Guarulhos sendo a segunda maior cidade do estado de São Paulo”, argumentou.

Para Vânia, o veto do prefeito ao projeto foi motivo de felicidade e mostrou que ele “entendeu de fato a fragilidade do que estava acontecendo”. “Iria manter uma prática que se eles não quisessem pensar nos animais, pensassem nos acidentes, nos riscos com as pessoas, no trânsito, além do fato de que isso é desnecessário hoje em dia. Pensar em pessoas passeando de charrete em uma área urbanizada é esquisito e fora de propósito, já que estamos no século XXI”, pontuou.

A veterinária ficou decepcionada, porém, com vereadores que se colocam como protetores de animais, mas votaram a favor do retorno das charretes em Guarulhos. “É um retrocesso. Ao mesmo tempo que as pessoas querem avançar, há muitos retrocessos. Isso é muito triste e mostra que as pessoas não estão entendendo que para que a gente possa ter condições de ter acesso a recursos e avanços, isso passa pela questão do entendimento e do respeito ao outro – nesse caso, um animal. Essa prática é desnecessária. As pessoas querem manter uma tradição travestida de sofrimento e dor amplamente identificados pela ciência”, reforçou.

Vânia Plaza espera, porém, que os vereadores mudem seus votos e mantenham o veto do prefeito à proposta. “Mas tenho certeza que, numa melhor reflexão – porque podem ter votado de forma rápida, sem atenção à amplitude dessa questão -, eles possam rever o voto e manter o veto do prefeito”, concluiu a ativista, que agradeceu ao prefeito “pelo entendimento do veto”.

Lista de vereadores que apoiaram a tração animal

Para que o veto do prefeito ao projeto de lei seja mantido, é necessário conscientizar os parlamentares que apoiaram a tração animal, fazendo-os mudar de posicionamento acerca da proposta que pretende liberar novamente o uso de charretes, carroças e similares no município de Guarulhos.

Para que a campanha proposta pelos ativistas da causa animal seja eficaz, protetores de animais e simpatizantes da causa precisarão fazer parte da mobilização, entrando em contato com não só com os parlamentares que votaram a favor da aprovação do PL quando ele foi votado na Câmara Municipal, mas também para conversar com os vereadores que não se posicionaram na ocasião. Isso porque Carlinda Tinoco, do Republicanos, estava ausente, e Lamé, do MDB, Lauri Rocha, do PSD, Romildo Santos, do PSD, e Wesley Casa Forte, do PSB, não votaram.

Além deles, é preciso conscientizar também os parlamentares que ainda defendem a tração animal. São eles: André Alves, do Cidadania; Carol Ribeiro, do PSDB; Danilo Gomes, do DC; Dr. Alexandre Dentista, do PSD; Dr. Laércio Sandes, do DEM; Edmilson Souza, do PSOL; Fausto Miguel Martello, do PDT; Geraldo Celestino, do PSC; Gilvan Passos, do PSD; Janete Rocha Pietá, do PT; Jorginho Mota, do PTC; Karina Soltur, do PSD; Leandro Dourado, do PTC; Lucas Sanches, do PP; Luis da Sede, do PSD; Marcia Taschetti, do PP; Maurício Brinquinho, do PT; Pastor Anistaldo, do PSC; Paulo Roberto Cecchinato, do PTB; Prof. Rômulo Ornelas, do PT; Rafael Acosta, do DC; Sangra Gileno, do Patriota; Sergio Magnum, do Patriota; Ticiano Americano, do Cidadania; Vanessa de Jesus, do Republicanos; e Welliton Bezerra, do PTC.

Para acessar o perfil de cada parlamentar no site oficial da Câmara de Guarulhos e obter os dados de contato – como e-mail, redes sociais e telefone do gabinete – basta clicar aqui.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR

VIDA NOVA

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA

GENEROSIDADE

REABILITAÇÃO

EMPATIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>