ESTUDO

Fazendas chinesas podem ser o marco zero da pandemia de Covid-19

Bruna Araújo | Redação ANDA


Escute
Foto: Animal Business Brasil

O apetite chinês pelo consumo de animais selvagens é encabeçado como o principal responsável pela pandemia de Covid-19, mas existia uma interrogação: qual o verdadeiro local de surgimento da mutação que permitiu que o coronavírus infectasse os seres humanos? Cientistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) acreditam que estão perto de solucionar esse mistério. A equipe considera as fazendas de civetas e outras espécies selvagens um ponto de ebulição para o surgimento de doenças, incluindo a Covid-19, que causou a morte de quase três milhões de pessoas em todo o mundo.

Nestes locais, os animais são mantidos em condições precárias, sem nenhuma higiene e são confinados por até 12 meses até estarem prontos para serem mortos e comercializados em mercados úmidos, como o de Wuhan, considerado o epicentro da pandemia. identificar o marco zero é importante para estudar as condições que propiciaram o surgimento da doença. Estas fazendas ficam localizadas em regiões rurais e são autorizadas pelo governo como um esforço para combater a pobreza. Lá, civetas, ratos-de-bambu, porcos-espinhos e muitas outras espécies são mantidas em péssimas condições.

Após uma vida de escravidão, esses animais são condenados à morte e se tornam “iguarias” em mercados e restaurantes. A equipe da OMS que está na China desde 2021 identificou que diversas fazendas do Sul do país abastecem o mercado de Wuhan e muito provavelmente uma delas é o foco da Covid-19. Os especialistas se recusaram a dar mais detalhes e afirmam que estão preparando um relatório detalhado. Há ainda outras variáveis a se considerar com a captura de animais da natureza que são vendidos como se tivessem sido criados em fazendas.

A exploração e o confinamento de animais selvagens e silvestres continua sendo o principal risco de novas pandemias e pode ocorrer em zoológicos, fazendas tanto de criação de animais para a indústria de peles, quanto para a criação de animais para consumo humano, além de outros locais onde esses animais são aprisionados para o entretenimento humano. A adoção de um estilo de vida mais sustentável e uma dieta livre de alimentos de origem animal pode evitar a propagação de novas doenças e salvar animais de condições cruéis. A reflexão é fundamental para a nossa sobrevivência.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS

DENÚNCIA

ATROCIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>