DEFESO

Mais de 8 mil caranguejos resgatados têm suas vidas salvas e voltam ao habitat

Mariana Dandara | Redação ANDA

Feiras livres e mercados municipais foram alvos das equipes de fiscalização, que também promoveram rondas em portos e patrulharam rios


Escute
Foto: Divulgação/Polícia Militar do Pará

Uma operação realizada no Pará pelo Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) e por agentes da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS) resultou no resgate de mais de 8 mil caranguejos da espécie Uçá.

As ações foram promovidas até o último domingo (4), quando acabou o período de defeso da espécie. O balanço registrado após a conclusão da operação foi divulgado na terça-feira (6) pelas autoridades.

As equipes focaram suas ações nos municípios de Augusto Corrêa, Bragança, Capanema, Salinas, São João de Pirabas e Tracuateua. Feiras livres e mercados municipais foram alvos da operação, que também promoveu rondas em portos e patrulhou rios.

Guias de estoques emitidas pelos órgãos de fiscalização também foram observadas, além da implementação de pontos de bloqueios em horários diferentes, através dos quais a venda e o transporte dos caranguejos foram descobertos.

Com a fiscalização, 8,1 mil caranguejos foram resgatados e tiveram suas vidas salvas – pelo menos até serem novamente capturados, agora sem que a lei impeça por conta do fim do defeso. Depois de serem resgatados, eles foram levados ao habitat e soltos na natureza.

Vítimas de pescadores, os animais seriam comercializados. Após a venda, os caranguejos seriam mortos para consumo humano de maneira extremamente cruel. Seja na culinária caseira ou profissional, o método usado para preparar refeições com caranguejos é o mesmo. Ainda vivos, eles são colocados em água fervente e agonizam até a morte. Após jogá-los na panela, os cozinheiros fecham a tampa para que eles não fujam. Sem refletir sobre o comportamento desses animais, quem os cozinha não observa que a fuga dos caranguejos é motivada pela dor. Queimados vivos, eles se debatem e tentam sair da panela para se livrar de tamanho sofrimento.

O defeso, criado para que a espécie possa se reproduzir livre da interferência humana, chegou ao fim no último domingo (4). Com isso, os caranguejos voltarão a ser capturados e mortos com a anuência do Estado. O descumprimento ao período de defeso pode acarretar multa de R$ 300 por caranguejo capturado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>