DENÚNCIA

Deputado ameaça matar a tiros cão de pequeno porte que latiu para ele

Mariana Dandara | Redação ANDA

Babi, como é chamada a cadela, teria corrido atrás do deputado enquanto ele praticava exercícios físicos no local. Irritado, o parlamentar não teria aceitado os pedidos de desculpa da tutora do animal


Escute
Foto: Reprodução

Moradores do Distrito Federal denunciaram o deputado Hildo Rocha (MDB-MA) por ameaça de morte contra uma cadela da raça dachshund, de porte pequeno, após o animal latir para o parlamentar. O caso aconteceu no último domingo (5) em um gramado conhecido como “campinho dos cachorros”, situado entre as quadras 202 e 203 Norte.

Babi, como é chamada a cadela, teria corrido atrás do deputado enquanto ele praticava exercícios físicos no local. Irritado, o parlamentar não teria aceitado os pedidos de desculpa da tutora do animal.

Em um boletim de ocorrência registrado na delegacia, a tutora da cadela, que preferiu não ser identificada, informou que “durante o horário do passeio dos cachorros da quadra e arredores, o dep. federal Hildo Rocha, que estava caminhando por perto, se assustou com os cachorros que ali brincavam e fez ameaça de, na próxima vez que comparecesse àquele local, iria levar sua arma e iria atirar nos cachorros que ali se encontrarem”.

“Após ser reconhecido por uma das frequentadoras do local, o referido Sr. refez seu caminho em direção a ela e exaltado e nervoso alegou que ela teria mandado seu pet morder o então deputado. O que não aconteceu e, no pouco que fora gravado por outras pessoas presentes, se é possível ver que todos os cachorros ali não apresentaram qualquer reação de raiva ou de fúria para cima de ninguém”, continua o documento, no qual duas testemunhas são registradas.

“Depois de perceber que estava sendo filmado no local, e de ser puxado por sua esposa, o então deputado se retirou do local, deixando as demais pessoas assustadas com a atitude dele de ameaçar portar em público, por ciência e própria conveniência, arma de fogo e, ainda, alegar que iria usá-la. Após tentativas de acalmarem uma gestante do grupo, todos se dispersaram do local com medo”, diz a denunciante no B.O.

De acordo com testemunhas que concederam entrevista ao portal Metrópoles, a discussão começou a ser registrada em um vídeo após o deputado fazer as ameaças. Ao perceber que estava sendo filmado, Rocha tentou negar que era um parlamentar. “Quem disse que eu sou representante [do povo]?”, disse.

Foto: Reprodução

“O senhor acha que não sei quem é o senhor?”, rebateu a tutora de Babi, que recebeu a resposta: “Sabe nada”. “Deputado Hildo Rocha, MDB do Maranhão. Lá dentro o senhor é uma pessoa e aqui o senhor é outra”, respondeu a mulher.

Em seguida, enquanto se retirava do local, o deputado perguntou: “Por que você colocou o seu cachorro para me morder?”. Ela respondeu: “Nenhum lhe mordeu”. Antes de ir embora, Rocha respondeu: “Mas você botou para me morder”.

Ao ser procurado pelo Metrópoles, o deputado negou ter feito a ameaça e disse que o cão que latiu para ele era um rottweiler e que ele estava com dezenas de outros cães. “Eu estava fazendo a minha caminhada lá e veio um cachorro rottweiler, sem coleira, sem focinheira, acompanhado de vários outros cachorros. Era uma matilha de uns 12 cachorros soltos. Não me morderam porque eu corri”, disse.

Preconceito contra rottweilers

“Sentimento hostil, assumido em consequência da generalização apressada de uma experiência pessoal ou imposta pelo meio; intolerância”. Assim é definida a palavra “preconceito” pelo dicionário e é essa palavra que resume a atitude de parte da sociedade em relação a cachorros de determinadas raças, como rottweilers e pit bulls.

Inúmeros tutores de rottweilers podem atestar o quão dóceis são esses cães. O mesmo podem fazer famílias que tutelam pit bulls. Fotografias antigas que mostram pit bulls cuidando de crianças, e que deram a eles o título de “babás”, também provam que pit bulls são cães como quaisquer outros.

Especialistas em comportamento animal e veterinários também reforçam que cachorros de qualquer raça, e até mesmo os que não possuem raça alguma, podem se tornar anti-sociais em decorrência de uma possível má criação. O que não ocorre de maneira diferente com humanos que, assim como os cães, muitas vezes reagem de maneira inadequada após passarem por situações traumáticas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CATIVO EM ZOO

CRIME AMBIENTAL

RESPONSABILIZAÇÃO

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

ESCRAVIDÃO

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>