BARBÁRIE

Égua e filhote recém-nascido são brutalmente mortos com golpes de facão em MG

Samylla Mól | Redação ANDA

Além da égua e do potro mortos, outros cavalos maltratados foram encontrados no local do crime


Escute
Foto: Divulgação

Uma égua explorada para puxar carroças e seu filhote recém-nascido foram assassinados na tarde de ontem (06/04) em Betim, no estado de Minas Gerais. A Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada e, chegando ao local, encontrou a mãe morta ao lado do filho, também brutalmente morto. Nos arredores, foi encontrado o instrumento do crime: um facão cuja lâmina tem cerca de 30 cm de comprimento.

Foram encontrados ainda outros cavalos, todos magros, mal cuidados. No local, também tinham aquelas que são usadas para tortura diária dos animais explorados para tração na região metropolitana de Belo Horizonte: as carroças.

O crime é chocante pela crueldade brutal contra uma mãe recém-parida e seu filhote. Porém, cenas de maus-tratos aos animais explorados em veículos de tração em Belo Horizonte e região metropolitana são rotineiras. Registra-se cerca de duas ocorrências de abandono, atropelamento e agonia de cavalos por semana. A maioria deles já foi forte um dia, mas sucumbiu ao peso das carroças carregadas de rejeitos de construção, ao chicote no lombo, à ausência de alimentação adequada e de cuidados básicos.

Foto: Divulgação

Em Minas Gerais, entre as montanhas e a belezas naturais, há dor, muita dor, de cavalos e burros que passam a vida atrelados às carroças, que são explorados como motor de tração, com uma diferença: aos motores mecânicos é fornecido combustível e revisão, já aos animais impera a exploração até que as forças deles sucumbam. Alimentação e cuidados veterinários são exceção.

A mamãe égua e seu filhote foram brutalmente assassinados. É chocante, é triste, tão triste que chega a dar nó na garganta de quem tem sangue nas veias e amor no coração. Porém, não é possível esquecer que esse fato faz parte da realidade de milhares de outros cavalos explorados em Belo Horizonte e região metropolitana. Então, é urgente que nos mobilizemos enquanto sociedade, que cobremos a aplicação daquela lei bonita chamada Constituição Federal. Nela é bem dito: são vedadas as práticas que submetam os animais à crueldade. Logo, as carroças urbanas têm que ser proibidas. Urgente.

Samylla Mól
Mestra em Direito Ambiental

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>