GUERREIRA

Abandonada para morrer, cadela luta para sobreviver após resgate

Mariana Dandara | Redação ANDA

Com dificuldades para andar, a cadela foi diagnosticada com anemia, doença do carrapato e sarna


Escute
Foto: Arquivo Pessoal/Sheyla Vasco

Uma cadela foi resgatada após ser abandonada para morrer em Praia Grande, no litoral do estado de São Paulo. Jogada em meio ao lixo, a pit bull foi salva por uma família que se comoveu com o seu sofrimento.

Bastante debilitada, Vitória, como passou a ser chamada, está lutando para sobreviver. Resgatada na noite do último domingo (4) no bairro Anhangüera, a cadela foi levada a uma clínica veterinária e está internada em estado grave.

A autônoma Sheyla Vasco contou que o resgate aconteceu após sua mãe ouvir os latidos e o choro de um animal e, ao se aproximar, deparar-se com Vitória em estado crítico de saúde.

“Onde a gente mora tem um local que jogam lixo na rua. Minha mãe passou e viu uma cachorra latindo muito alto, na chuva, jogada no lixo, bem judiada. Ela pegou um cobertor e trouxe a cachorra para casa”, conta Sheyla ao G1.

Com dificuldades para andar, a cadela foi diagnosticada com anemia, doença do carrapato e sarna. “Nós tentamos dar água, ração, mas ela recusou. Sentia muitas dores, as patinhas estavam inchadas. Ela foi deixada para morrer no lixo, muito desumano. [Os animais] são tão inocentes, iguais a criança”, desabafou Sheyla.

Com aproximadamente cinco anos de idade, a pit bull foi um dos tantos animais abandonados no bairro Anhangüera. Segundo a autônoma, casos assim são frequentes na região.

Mas embora Vitória tenha tido a sorte que muitos outros animais abandonados não têm, sua internação em uma clínica veterinária, tão necessária diante do seu estado de saúde, só aconteceu graças à união de pessoas dispostas a salvar vidas.

Foto: Arquivo Pessoal/Sheyla Vasco

Após sua mãe levar a cadela para casa, Sheyla ficou preocupada com o estado de saúde de Vitória. Sem condições financeiras para levá-la ao veterinário, decidiu fazer uma publicação nas redes sociais pedindo ajuda. E funcionou. O apelo chegou à administradora de empresas aposentada Bernadete Aguilar, que tutela vários cachorros e não conseguiu fechar os olhos para o sofrimento de Vitória.

“Eu vi no status da rede social, logo entrei em contato com a Sheyla e falei para levar ao veterinário, que de alguma forma daria um jeito de arcar com os custos. Entrei em contato com um petshop aberto e levaram ela”, disse.

Até a última segunda-feira (5), Bernadete já havia gastado R$ 700 para garantir um tratamento adequado à cadela. Cada diária de internação custa R$ 200, fora outros gastos extras – com exames, por exemplo.

Por conta do alto custo do tratamento, Sheyla e Bernadete iniciaram uma campanha para arrecadar fundos para o tratamento de Vitória. A esperança delas é de conseguir salvar a vida da cadela e, depois, encontrar um novo tutor para ela.

“Peço a Deus para salvar a vida da Vitória. Demos esse nome porque se ela sair dessa, é uma vitoriosa. Vamos procurar uma família que a ame porque ela já foi muito maltratada”, concluiu Sheyla


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>