CONSCIENTIZAÇÃO

Artista faz esculturas para mostrar que o couro é resultado da violência contra animais

Mariana Dandara | Redação ANDA

Produzidos pelo artista chinês Cao Hui, um casaco, uma poltrona e uma mala de viagem com carne, vísceras, sangue e órgãos mostram que o couro é uma parte do corpo de um animal que viveu uma vida miserável e foi covardemente morto


Escute
Foto: Cao Hui

O escultor chinês Cao Hui decidiu tirar as pessoas da zona de conforto que as convence que não há nada de errado em comprar peças de couro e, para isso, produziu esculturas que retratam a realidade desse produto repleto do sofrimento de animais sencientes.

Produzidos pelo artista, um casaco, uma poltrona e uma mala de viagem com carne, vísceras, sangue e órgãos mostram que o couro é uma parte do corpo de um animal que viveu uma vida miserável e foi covardemente morto.

O objetivo do escultor é chocar a sociedade para que, a partir do choque inicial, as pessoas passem a refletir sobre os produtos que consomem e a crueldade que financiam através deles.

Foto: Cao Hui

A arte do chinês desnuda o que a agropecuária tanto quer esconder. Por trás do casaco de couro na vitrine da loja há um animal com sangue, carne, órgãos, que sofreu, sentiu dores horríveis, foi confinado em um caminhão superlotado, teve seu corpo queimado para marcação com ferro quente, e que, de maneira prematura, teve sua vida ceifada. Essa é a realidade que a pecuária esconde e que Cao Hui revela através de suas obras.

As esculturas do artista transformam o imaginário de quem as vê ao pôr fim à ideia de que uma peça de couro é apenas uma peça de couro. Há morte, há sofrimento, há um ser vivo que foi reduzido a um objeto de maneira cruel. E Cao Hui mostra isso.

Para criar obras tão realistas, o escultor usa fibras e resinas que imitam o couro, a carne, o sangue, as vísceras e os órgãos dos animais.

Foto: Cao Hui

Alternativas éticas

O uso de couro não só é uma prática cruel, como dispensável. Isso porque é possível optar pelo couro sintético. Além disso, o mercado tem se renovado a cada dia, apresentando aos consumidores diversas alternativas livres de crueldade animal e sustentáveis, como os couros veganos à base de cogumelo, folhas de cacto, fibra de maçã, bagaço de uva e abacaxi – todos de alta qualidade e com resultado final impressionante na similaridade da aparência com o couro de origem animal.

Foto: Cao Hui

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FEBRE AMARELA

REVERSÃO

FINAL FELIZ

RÚSSIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>