SAÚDE MENTAL

Animal acostumado com tutor em casa pode sofrer ao final do isolamento social

Mariana Dandara | Redação ANDA

Acostumados com carinho e atenção, os cães e gatos podem sofrer quando não tiverem mais os humanos à disposição o dia todo


Escute
Foto: Pixabay

A presença frequente dos tutores em casa durante a pandemia de coronavírus pode trazer consequências negativas para a saúde mental dos animais ao final do isolamento social. Acostumados com carinho e atenção, os cães e gatos podem sofrer quando não tiverem mais os humanos à disposição o dia todo.

A médica veterinária Cláudia Mendes explicou, porém, que a presença constante dos tutores em casa não é só maléfica, mas também tem seu lado bom.

“O lado bom é que o animal ficou muito feliz, o tutor tem tempo para brincar, passear, dar carinho. Outra coisa que observamos na clínica é que quando o animal apresentava mal-estar, o tutor logo levava ao veterinário, não esperava, a carteirinha de vacinação também teve atenção, pois o tutor esteve atento. Quando trabalha demais, não acaba tendo uma visão do animal”, disse ao portal Mídia Max.

Por outro lado, aumentaram os casos de cachorros com intoxicação alimentar e obesidade, já que os animais acabaram comendo mais com a família em casa. Em relação ao apego que o animal pode sentir, a veterinária dá dicas para amenizar a situação e gerar menos sofrimento com a separação que ocorrerá ao final do isolamento social.

“Quando ele sair, o cão pode começar a chorar, pode ficar estressado e estragar coisas. Não dá para brigar com ele, ele está sentindo falta, os tutores devem iniciar ações que amenizem essa ausência”, afirmou.

No caso dos animais adotados durante a pandemia, a atenção deve ser redobrada. Por terem sido condicionados desde o começo a ter a companhia do tutor o tempo todo, eles podem sofrer mais. Joe é um exemplo. O cachorro foi adotado durante a pandemia pelo analista de suporte Bruno Siqueira. Preocupado com o bem-estar do cão, o tutor já começou a tomar providências para que Joe não chore na ausência do animal.

“Tinha preocupação de deixar o cachorro o dia inteiro em casa sozinho, sendo que saia cedo de casa e só voltava a noite. A gente já criou a rotina de passeios, ele até sabe os horários, vai para a porta da casa sabendo que é hora do passeio, fica todo alegre, já criamos até rotina para a alimentação. Eu já me preocupo quando voltar ao normal, porque ele ficou muito carente e dependente da gente. Quando vamos sair é meio que um desespero, porque ele começa a chorar, então dou um brinquedo, um petisco”, explicou.

A especialista em comportamento e educadora canina, Ana Clara Rose Balbé, explicou ao portal Mídia Max que em março seu centro de treinamento recebeu uma demanda maior de cachorros, principalmente filhotes com problemas de socialização.

“Para que os cães não sofram tanto, os tutores podem deixá-los pouco tempo sozinhos e ir aumentando gradativamente, escolher um espaço diferente da casa para fazer dele um local que o cão tenha boas experiências, como por exemplo, um brinquedo recheado ou algo que ele goste só recebendo lá, mudar a forma de alimentação fazendo com que ele busque pela própria comida. Outra coisa que pode ser feita é sair sem se despedir muito do cão e deixar brinquedos para que o cão possa interagir sozinha em sua ausência, uma garrafa pet sem tampa e sem rotulo, cheia de petiscos pode ajudar bastante”, orientou a especialista.

Embora gatos sejam mais independentes e costumem se adaptar mais facilmente a ausência do tutor, eles também podem sofrer por conta da separação. Sendo assim, as dicas dadas pensando nos cães também valem para os gatos que, ao contrário do que diz a falácia do senso comum, amam seus tutores e gostam de estar perto deles.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA

GENEROSIDADE

REABILITAÇÃO

EMPATIA

RECEPÇÃO

FINAL FELIZ

SEM FERIMENTOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>