ESTELIONATO

Homem é preso após dar golpe de R$ 400 mil em entidade de proteção animal

Mariana Dandara | Redação ANDA

O estelionatário havia sido contratado para construir a nova sede da ONG, onde os animais resgatados viveriam


Escute
Foto: Polícia Civil

Um homem foi preso na última segunda-feira (01) em Maceió (AL) após dar um golpe de R$ 400 mil no Projeto Acolher, que resgata animais vítimas de maus-tratos e abandono. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Roubos e Crimes Ambientais, da Polícia Civil.

O homem fingiu ser dono de uma construtora para receber o dinheiro destinado à construção da nova sede da entidade. Após ter R$ 400 mil em mãos, ele abandonou a obra e não pagou os funcionários.

O delegado Leonam Pinheiro revelou ao G1 que o homem é um estelionatário. Ele também é acusado de estupro. “A prisão foi realizada em flagrante, pois o mesmo ainda tentou retirar da vítima mais R$ 100 mil, porém no momento em que a vítima marcou encontro, a polícia estava aguardando para realizar a captura”, disse o delegado.

De acordo com a advogada e presidente da Comissão do Bem estar Animal, da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Alagoas, Rosana Jambo, a idealizadora da ONG, Naíne, está recebendo o apoio dos integrantes da comissão, de políticos de Maceió e de representantes da OAB-AL, que estiveram na delegacia.

“Fomos para prestar suporte à instituição, não foi só a ONG que foi afetada, trabalhadores que estavam na obra não receberam o dinheiro, as pessoas que entregavam as marmitas, lojas que venderam materiais de construção, todos foram vítimas desse estelionatário”, explicou a advogada.

Levado à Central de Flagrantes I, o homem responderá judicialmente pelo crime de estelionato.

Foto: Reprodução/Instagram/Projeto Acolher

Através das redes sociais, a fundadora da ONG se posicionou sobre o caso. “Quem me acompanha de muitos anos sabe qual é o meu maior sonho, sabe o que eu queria para a minha vida, que sempre foi deixar o abrigo dos meus animais pronto”, disse. “Eu não imaginava que ele ia fazer isso comigo, eu confiava. Ele me mostrava algumas notas aleatórias, eu confiava. O contrato era falso, eu assinei um contrato falso”, completou.

Naíne afirmou que quer receber o dinheiro que entregou ao estelionatário, mas que também se preocupa com os profissionais prejudicados por ele. “Eu quero sim o dinheiro de volta, mas eu quero que ele pague os pedreiros, um monte de gente que ele está devendo”, afirmou. “Estou com o apoio da Justiça, dos advogados, da minha santa, de Deus, e meus animais continuam precisando e eu vou seguir a minha obra”, acrescentou a fundadora da instituição, que fez iniciou uma campanha de arrecadação de fundos em um site de financiamento coletivo para dar continuidade às obras do abrigo.

Coincidentemente, o crime foi descoberto dias antes de Naíne fazer aniversário. Triste com o golpe, a fundadora da instituição disse ter recebido um bolo surpresa e afirmou que sua nova idade “significa recomeço”. “Cara de choro, camisola de sempre e o pedido antes de apagar as velas não é segredo para ninguém: que eu consiga construir a casa dos meus animais! Parabéns para mim! Que Deus e Oyá me mantenham forte!”, escreveu nas redes sociais, por meio das quais também informou que a obra já foi reiniciada e que “duas engenheiras competentes” e “novos pedreiros” estão trabalhando no local.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA

REVOLTA

AÇÃO SOCIAL

MÉXICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>