SEGUNDA CHANCE

Veterinária confecciona cadeira de rodas para papagaio conseguir andar

Caroline Siqueira | Redação ANDA


Escute
Maria Ângela Panelli

Mefi, um papagaio muito charmoso de Campinas, SP, possui um problema na coluna desde o seu nascimento. Ele só se locomovia com seu bico arrastando o seu corpo, sem nunca ter sua cabeça erguida para cima. Assim como muitos animais que nascem com alguma deficiência, o pássaro iria ser sacrificado em uma clínica veterinária.

Mas o seu destino mudou quando a empresária Christiane Teixeira o encontrou. A moça encontrou Mefi dentro de uma cesta em uma clínica veterinária e se apaixonou.

“A coisinha mais fofa do mundo. Ela me explicou que ele tinha uma deformidade na coluna e que a pessoa não queria cuidar dele. Teria que ser uma pessoa com muito carinho e amor para cuidá-lo. Isso foi música para meus ouvidos”, disse ao G1.

Empenhada em adotá-lo, Christiane correu atrás dos documentos necessários para a adoção de animais silvestres. Com a ajuda de um delegado ambiental, a empresária conseguiu a guarda de Mefi.

Certo dia, Christiane viu o papagaio batendo asas e ali ela teve certeza de que Mefi estava disposto a se locomover. Então, a empresária procurou profissionais que pudessem ajudar o seu animalzinho.

Durante a busca, ela encontrou o trabalho da médica veterinária Maria Ângela, que lidava com casos parecidos com o de Mefi. Após o primeiro contato online via rede social, elas realizaram uma exame raio-X no pequeno.

Com o resultado em mãos, Maria Ângela sugeriu uma cadeira de rodas para Mefi. A médica decidiu se especializar nessa área de animais deficientes, pois ficava com o coração entristecido ao ver tantos animais serem sacrificados.

“Falavam para mim, por exemplo, que estava faltando um bico, então poderia matar. Aquilo acabava comigo. Pedi autorização, porque tem toda uma norma em cima dos silvestres e eles liberaram para mim. Comecei a adquirir equipamentos minimalistas, para transferir para animais bem pequenos o que a gente aprendeu no cão e no gato em relação à ortopedia”, explicou Maria Ângela.

Ao receber o sinal positivo para a cadeira de rodas de Christiane, a veterinária se esforçou por dias para montar a cadeira de rodas ideal para Mefi. Até que enfim, ela conseguiu um resultado satisfatório que permitia que o papagaio se locomovesse com sucesso.

Apesar de hoje o papagaio amar a cadeira, Christiane esclarece que nem sempre foi assim, mas com o tempo ele foi se adaptando. Para acostumar o animal à cadeira, ela costuma dar sementes de girassol ao passarinho toda vez que ele andava nela.

De vez em quando, Mefi fica estressado e Christiane o tira um pouco da cadeira. “Tudo que ele precisa é de carinho, amor e tempo”, disse a empresária. “Mefi é um milagre.”

Christiane Teixeira

A veterinária Maria Ângela ficou feliz com o resultado de Mefi e diz que pretende levar seus conhecimentos para outros profissionais da área. “Eu quero que mais veterinários se interessem e possam aprender a fazer.”

A médica falou que já tem cursos marcados para ensinar suas técnicas por todo o Brasil. Profissionais qualificados e com amor à profissão realmente fazem a diferença!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>