TAILÂNDIA

Ursos desnutridos aprisionados em zoo imploram por comida a turistas

Bruna Araújo | Redação ANDA


Escute
Foto: ViralPress | Umpon Thongmeungluang

O Zoológico de Bangkok, na Tailândia, reabriu após meses fechado em razão das medidas de isolamento para evitar a propagação da Covid-19 e chocou os seus primeiros visitantes ao exibir animais magros, apáticos e claramente negligenciados. Ursos imploravam por comida aos turistas, tigres desnutridos e com os ossos salientes sob a pele frágil. Crocodilos estão nadando em águas pútridas, desorientados e estressados. Orangotangos apresentam sinais de ansiedade.

Após uma série de denúncias, um veterinário contratado pelo governo tailandês fez uma inspeção ao local e afirmou que os animais estão sendo mantidos em recintos muito menores do que o mínimo exigido. A PETA vem denunciando o local há anos e o classifica como o “inferno na Terra para os animais” e denuncia que os animais não foram bem cuidados enquanto o zoo estava fechado devido à Covid-19. Visitantes relataram a mesma impressão nas redes sociais.

Foto: ViralPress | Umpon Thongmeungluang

O fotógrafo Umpon Thongmeungluang, que mora na região, afirma que ficou consternado com as condições que os animais estão. Ele disse que ficou emocionado ao ver tigres, outrora lindos e majestosos, magérrimos e debilitados. “Os animais eram todos muito magros que eu senti pena deles. Fiquei chateado quando os vi. Os tigres continuaram andando em círculos e eu me perguntei se eles estavam com fome ou esperando que alguém os alimentasse”, lembra.

Thongmeungluang tirou diversas fotos que rapidamente viralizaram e chamaram a atenção de ativistas e da imprensa. Uma investigação revelou que vários animais morreram durante a pandemia. Funcionários do Departamento de Vida Selvagem e Reprodução inspecionaram o zoológico em 15 de fevereiro. O gerente do zoo foi interrogado e disse que os animais “são bem cuidados” e que “não estão doentes” e ele não pode “obrigar os tigres a serem mais encorpados”.

Foto: ViralPress | Umpon Thongmeungluang

A veterinária do Parques Nacionais, Vida Selvagem e Conservação de Plantas, Girna Nordechanon, examinou os animais e constatou que eles estão em recintos inadequados e recebem porções de comida insuficientes para manter os animais bem nutridos. Ela não incluiu os danos psicológicos que os animais estão sofrendo, apenas recomendou melhorias de logísticas bem-estaristas que não incluem o respeito aos direitos animais.

Nota da Redação: zoológicos e outros locais que aprisionam animais devem ser completamente extintos. Casos como o do Zoológico de Bangkok servem para alertar a população mundial sobre a injustiça e crueldade escondida atrás de zoológicos e outros locais que mantém animais em cativeiro apenas para divertimento humano. É preciso clarear a consciência para entender e respeitar os direitos animais. Eles não são objetos para serem expostos e servirem ao prazer de seres humanos. As pessoas podem obter alguns minutos de entretenimento, mas para eles é uma vida inteira de exploração e abusos condenados pelo egoísmo humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMOVENTE

ACIDENTE

Acolhimento

CRUELDADE

FINAL FELIZ

ACIDENTE

DESAPARECIMENTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>