CIRURGIA COMPLEXA

Jabuti encontrado na rua é operado após comer 320 pedras para matar a fome

Mariana Dandara | Redação ANDA

Apesar dos riscos que correu, Pérola, como passou a ser chamado o jabuti fêmea, passa bem e está recebendo todos os cuidados necessários


Escute
Foto: Hospital Veterinário de Uberaba/Divulgação

Um jabuti encontrado na rua em Uberaba, no estado de Minas Gerais, foi operado após um exame de raio-x identificar pedras no estômago do animal, que as ingeriu por passar fome. O procedimento complexo durou cerca de 4 horas e foi realizado na última quarta-feira (17) no Hospital Veterinário de Uberaba (HVU).

Em dois meses, Pérola, como passou a ser chamado o animal, que é uma fêmea, deve ser levada para o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Patos de Minas. Durante 60 dias, ela permanecerá em observação e a recuperação total, com cicatrização da carapaça, pode demorar até um ano.

Resgatado pelo Corpo de Bombeiros no último domingo (14), o animal silvestre, que está em fase adulta, foi encontrado no bairro Residencial Marajó I. A suspeita é de que ele tenha fugido do cativeiro onde era criado.

Levado ao HVU, o jabuti foi submetido a uma radiografia após se negar a se alimentar. Com a identificação das pedras, pequenas e grandes, em seu estômago, cinco médicos veterinários, sendo dois anestesistas e três cirurgiões, reuniram-se para operá-lo.

Foto: Hospital Veterinário de Uberaba/Divulgação

Criar animais silvestres sem registro legal – autorização que possuem, por exemplo, os santuários – configura crime ambiental, passível de detenção de até um ano, além de multa. “Existe cachorro de rua, gato de rua e agora um jabuti de rua. Então, os jabutis também estão sofrendo com maus-tratos. Ela possivelmente fugiu, estava perdida e passou fome, por isso comeu as pedras que encontrou no caminho”, disse ao G1 o gerente clínico do HVU, Cláudio Yudi.

De acordo com o veterinários, cirurgias como a que Pérola foi submetida podem custar até R$ 3 mil. O procedimento realizado na jabuti, no entanto, foi feito graças a uma parceria entre o hospital veterinário, a Polícia Militar de Meio Ambiente e o Ministério Público de Minas Gerais.

Apesar dos riscos que correu, Pérola passa bem e está recebendo todos os cuidados necessários.

Foto: Hospital Veterinário de Uberaba/Divulgação
Foto: Hospital Veterinário de Uberaba/Divulgação

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL

EXEMPLO

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>