DESUMANIDADE

Cão é condenado à morte após morder cadela e tutor lamenta: ‘estamos arrasados’

Mariana Dandara | Redação ANDA

Jasper era um cachorro dócil e adorava a companhia de sua família, mas pagou caro por não se dar bem com outros animais


Escute
Foto: Pixabay/Ilustrativa

“Descanse em paz Jasper, meu coração está partido”. Essas foram as palavras escritas em uma homenagem ao pit bull que teve sua vida ceifada pela ignorância humana. Jasper era um cão adorável com seus tutores, mas não se dava bem com outros animais e pagou caro por isso. Após morder uma cadela, que sobreviveu, ele foi condenado à morte.

Chloe, uma cadela mestiça de labrador e basset hound de 12 anos, passeava com sua tutora na região das montanhas Catskill, em Jova Jersey, nos Estados Unidos, quando tudo aconteceu. Em sua companhia, estavam também uma amiga de sua tutora, Shawna Richer e seu cachorro, Scout.

Em um artigo publicado no jornal The New York Times, Susanne Craig relatou os fatos ocorridos naquele lamentável dia. A pequena Chloe, adotada há mais de uma década pela jornalista, foi mordida por Jasper, que lhe causou ferimentos no pescoço e no abdômen. Apesar do acidente, a cadela sobreviveu e se recuperou. Jasper não teve a mesma sorte.

“Eu segurei Chloe enquanto todos nós lutávamos para separar os cães. Os dentes de Jasper estavam enterrados no pescoço de Chloe e seu pelo estava manchado de sangue. Shawna chutou Jasper no peito e tentou se enfiar entre os focinhos dos cães, enquanto, ao mesmo tempo, tentava manter Scout fora da briga”, escreveu a jornalista no texto publicado no jornal.

Segundo ela, a tutora do cão também tentou contê-lo, mas não conseguiu. Jasper só foi retirado do local após o pai de sua tutora aparecer. Ele encaixou a guia na coleira do pit bull e o puxou, levando-o para dentro de casa.

Nos dias seguintes, amigos de Susanne disseram que a culpa do acidente era da raça do cachorro, por se tratar de um pit bull, vítima de preconceito por parte da sociedade. A jornalista, no entanto, discorda e diz culpar os tutores de Jasper, não ele. “Depois que Chloe foi atacada, assisti The Champions (Os campeões), um documentário sobre o destino dos pitbulls abusados por Michael Vick, o jogador de futebol profissional que cumpriu pena em uma prisão federal por administrar uma competição de briga de cães ilegal. Dezenas de pitbulls foram apreendidos e realojados. O filme é uma prova da ideia de que muitos cães, independentemente da raça ou das condições em que foram criados, podem ser reabilitados com a devida atenção, treinamento e amor”, relatou.

“Na casa certa, com proprietários informados e responsáveis, até Jasper poderia ter tido uma vida segura e feliz”, completou.

A tutora disse ainda que teve medo de Chloe morrer ali mesmo, na estrada onde instantes antes elas viviam momentos felizes, passeando juntas. “Em meio às lágrimas, disse adeus a ela. Eu disse a ela que sentia muito”, contou.

A despedida, no entanto, felizmente não se concretizou. Com Chloe ferida nos braços, Susanne caminhou até sua casa e chamou um médico veterinário, que socorreu a cadela. De acordo com o profissional, Chloe foi salva pelo material grosso do peitoral de sua coleira, que absorveu parte das mordidas de Jasper.

Dias depois, enquanto a cadela se recuperava, Susanne recebeu um e-mail do pai da tutora do pit bull. Ele contou ter adotado o cachorro quando ele ainda era filhote e relatou que Jasper era um animal dócil, mas que não se dava bem com outros cães. “Eu gostaria que você pudesse vê-lo com sua família. Ele era um animal de estimação gentil e amoroso, mas não era assim com estranhos e outros cães. Eu virei minhas costas e ele escapuliu. Só posso dizer que gostaria que nunca tivesse acontecido. Nossa família está arrasada”, escreveu o homem.

Como as vacinas de Jasper estavam desatualizadas, sua família foi obrigada a entregá-lo ao serviço de controle animal, que, embora tenha prometido devolver o cão dias depois, acabou condenando-o à morte. Susanne, no entanto, não desejava que o pit bull tivesse esse destino e sofreu por isso.

“Ao ler o e-mail, sentada em meu carro no estacionamento de uma Home Depot, chorei até soluçar. Fiquei arrasada por Jasper e sua família. Eu acreditava que eles amavam seu cachorro. Eu queria encontrar outra casa para ele, um santuário para pitbulls, algo assim. Eu o imaginei sendo salvo pela Humane Society dos EUA. Eu gostaria de nunca ter passado por sua casa naquela manhã. Desejei que Jasper tivesse sido controlado”, desabafou. “Isso me deixou triste por tudo que não precisava ter acontecido”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO

AVANÇO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>