CRIME

Cachorros acorrentados e presos em caixas de ferro são resgatados em MS

Redação ANDA

Levados ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), os cães serão transferidos para uma ONG parceira da prefeitura após receberem os primeiros cuidados


Escute
(Foto: Reprodução/DECAD)

Sete cachorros que viviam em condições de maus-tratos foram resgatados por policiais da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista (Decat) em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Os animais eram mantidos acorrentados e presos em caixas de ferro em um imóvel na Vila Bordon.

O proprietário da casa, de 30 anos, responderá pelo crime de maus-tratos a cachorros. Levados ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), os cães serão transferidos para uma ONG parceira da prefeitura após receberem os primeiros cuidados.

De acordo com o delegado titular da Decat, Maércio Alves Barbosa, cerca de 60 denúncias de maus-tratos a animais foram recebidas pela delegacia nos primeiros 25 dias do ano.

Na opinião do delegado, as prisões por maus-tratos a cães e gatos possuem dois efeitos distintos. “Primeiro, aquela pessoa que é presa vai responder pelo crime. Depois, as autuações possuem um teor pedagógico, que mostra à população de que os animais merecem cuidados”, explicou ao G1.

Lei Sansão

Recentemente sancionada, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade.

A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei.

Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais.

A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo a fauna silvestre e animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMOVENTE

ACIDENTE

Acolhimento

CRUELDADE

FINAL FELIZ

ACIDENTE

DESAPARECIMENTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>