IRRESPONSABILIDADE

Águas radioativas de Fukushima contém substâncias que ‘podem danificar o DNA humano’

Helen Vitória | Redação ANDA

21/12/2020


Escute
Imagem ilustrativa: Pixabay

A água contaminada da usina nuclear de Fukushima, no Japão, contém “níveis perigosos” de substâncias radioativas que têm o “potencial de danificar o DNA humano”, de acordo com um relatório do Greenpeace.

O relatório Stemming the Tide 2020 da organização, faz um alerta para a presença de isótopos radioativos Estrôncio-90 e Carbono-14 na água, e chega o momento em que o governo japonês decide se vai prosseguir com os planos atuais de liberação do líquido “tratado” no mar.

Mais de um milhão de toneladas de água permanece na área de Fukushima, e o governo japonês vem debatendo há anos como descartar o lixo.

Grupos de pescadores e ambientalistas levantaram preocupações sobre o lançamento de resíduos radioativos, mas alguns cientistas consideram o risco para a área baixo.

O líquido em Fukushima contém água que foi usada para resfriar a usina nuclear antes de ser devastada pelo enorme tsunami que se seguiu a um terremoto de magnitude 9,0 em 2011.

A liberação da água do local para o oceano começaria no próximo ano, no mínimo, com os resíduos ainda mais diluídos antes de serem liberados no mar por um período de 30 anos.

Mas o relatório do Greenpeace afirma: “É uma medida que terá consequências graves e de longo prazo para as comunidades e para o meio ambiente, tanto dos arredores quanto de áreas muito mais longe”.

O relatório acusa o governo japonês e a Tokyo Electric Power Company (TEP-CO), responsável pelo local de Fukushima, de ter “construído uma série de mitos para apoiar seu plano”.

O Greenpeace disse que isso inclui: “Que até 2022, não haverá mais espaço para armazenamento de água; a água não está contaminada – o trítio radioativo é o único radioisótopo na água e é inofensivo; e não há alternativas para o despejo da água no oceano.”

Mas o relatório diz que as declarações são “falsas”.

O Greenpeace disse: “O isótopo radioativo carbono-14 tem meia-vida de 5.370 anos. Como resultado, ele persiste no meio ambiente por milhares de anos e é incorporado a toda matéria viva. Concentra-se nos peixes em níveis milhares de vezes superior ao do trítio. O carbono-14 é especialmente importante como um dos principais contribuintes para a dose de radiação humana coletiva e tem o potencial de danificar o DNA humano.”

Na semana passada, o governo japonês adiou a decisão sobre o que fazer com a água.

O Ministro da Indústria, Hiroshi Kajiyama, disse: “Para evitar o atraso no processo de desativação de Fukushima Daiichi, precisamos tomar uma decisão sobre como lidar com a água processada que aumenta a cada dia”, mas ele também reconheceu que as autoridades japonesas precisam abordar as “vozes da preocupação”.

Shaun Burnie, autor do relatório e especialista nuclear sênior do Greenpeace Alemanha, disse: “Quase dez anos após o início do desastre, a TEP-CO e o governo japonês ainda estão encobrindo a escala da crise em Fukushima Daiichi.”

“Eles ocultaram deliberadamente durante anos informações detalhadas sobre o material radioativo na água contaminada. Eles não conseguiram explicar aos cidadãos de Fukushima, no Japão e em países vizinhos, como Coreia do Sul e China, que a água contaminada a ser despejada no Oceano Pacífico contém níveis perigosos de carbono-14. ”

Ele acrescentou: “Estes, juntamente com outros radionuclídeos na água, permanecerão perigosos por milhares de anos, com potencial para causar danos genéticos. É mais uma razão pela qual esses planos precisam ser abandonados.”

O Greenpeace está pedindo às autoridades japonesas que armazenem a água contaminada e continuem a tratá-la.

O atraso em anunciar se o lançamento de água no oceano deve ou não ser feito se deu porque o governo do Japão inesperadamente voltou sua atenção para a crise climática.

O novo primeiro-ministro Yoshihide Suga deve anunciar que o país alcançará emissões líquidas zero até 2050, alinhando suas ambições ambientais com as da UE e de muitos outros países.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"62516":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"62516":{"val":"rgb(255, 255, 255)"}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
DOE AGORA

COMPARTILHE:

Você viu?


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
>