Prisão preventiva

Justiça mantém preso homem que matou cão ao arrastá-lo no asfalto

Em depoimento à polícia, o agressor confessou o crime e disse que matou o cão porque ele estava doente

Pixabay
Pixabay

Manoel Batista dos Santos Junior, de 32 anos, teve sua prisão em flagrante convertida em preventiva pela Justiça após amarrar um cachorro em um carro e arrastá-lo até a morte na cidade de Jaguaré, no Espírito Santo.

A decisão foi tomada durante audiência de custódia na quarta-feira (14) pelo juiz Leandro Cunha Bernardes da Silveira sob a justificativa de garantia da “ordem pública” e da “regular instrução processual”. Segundo o prazo prescricional, o mandado de prisão preventiva vale até 12 de outubro de 2032.

” […] tenho que a soltura do custodiado poderá colocar em risco a segurança social, haja vista a real possibilidade de reiteração delitiva, além do que está presente a periculosidade concreta de sua conduta […]”, diz trecho da decisão. De acordo com o documento, o agressor do cão é réu primário.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Câmeras de segurança flagraram o momento em que o homem agrediu o animal. Em depoimento à polícia, ele afirmou que matou o cão porque ele estava doente.

A presidente da ONG de Proteção a Cães de Jaguaré, Suely Izabel Dalvi, repudiou o ato de violência praticado por Manoel Batista. “Não sei como um ser humano tem a capacidade de fazer isso com um animal inocente. Ficamos todos revoltados e só esperamos que ele pague pelo crime que ele cometeu”, disse ao G1.

De acordo com o delegado Leonardo Malacarne, titular da delegacia de São Mateus, para onde o agressor foi levado, a versão de Manoel não é convincente e, mesmo se fosse verdadeira, não justificaria o crime.

“Ele mora em São Mateus. Contou que estava em Jaguaré desde sábado na casa de amigos. Ontem, por volta das 20h, ele saiu de casa, viu o cachorro na frente do carro dele, e, segundo ele, o cachorro estava aparentemente doente, com fome, agonizando. Diante dessa situação, ele achou que seria interessante sacrificá-lo. Ele pegou uma corda, um varal que tinha no carro, pegou o cachorro, amarrou no para-choque e o arrastou”, explicou o delegado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui