Idosa lamenta morte de gatos em incêndio: ‘foi muito triste, eu só queria salvá-los’


Pixabay/Imagem Ilustrativa

Um incêndio que pode ter sido criminoso tirou a vida de 22 dos 40 gatos cuidados pela carreteira aposentada Maria Aparecida da Silva Brito, de 60 anos. Os animais viviam em uma mata em frente à casa da idosa, em Franca, no interior de São Paulo.

Há seis anos, a aposentada utiliza os R$ 2 mil de sua aposentadoria para alimentar os animais e nutre um sentimento de afeto por todos eles. Diante da morte dos gatos, Maria Aparecida vive um difícil período de luto.

“Foi muito triste. A sensação é indescritível. Só consegui ficar em pé porque Deus me segurou”, disse a aposentada sobre o incêndio ocorrido na última quarta-feira (7).

“Sempre amei animal. Já morei em chácara e tive mais de 150 animais. Sou pobre, luto, sempre trabalhei, tenho problemas no coração, mas isso não significa nada comparado com o quanto amo eles. Deixei de ter coisas mais luxuosas para cuidar deles”, acrescentou.

A rotina de Maria Aparecida começa às 4h, quando ela acorda para alimentar os animais. Duas horas depois, a aposentada retira os potes de ração distribuídos pela mata. Às 15h e às 18h, ela os alimenta novamente.

“São cinco quilos de carne e cinco quilos de ração por dia, e eu dou ração premium. Eles comem o dia inteiro. Gasto R$ 1,3 mil de carne e R$ 800 de ração. É todo meu dinheiro. É todo meu salário”, afirmou ao G1.

Quando o incêndio se iniciou, Cida, como é conhecida na vizinhança, desesperou-se. Para tentar salvar os animais, a aposentada os colocou dentro de seu vestido e os carregou para dentro de sua casa. A filha de Maria Aparecida, Elisandra, acionou o Corpo de Bombeiros e usou baldes de água para controlar o fogo até a chegada da corporação. Vizinhos também se uniram e, com uma mangueira, tentaram conter as chamas.

“Sozinha, não teria condições. Não chorei, não gritei. Eu só queria salvá-los. A única coisa que fiz foi levantar o vestido, no meio de todo mundo, e pôr eles dentro”, disse.

Câmeras de segurança de imóveis da região registraram o fogo. Sob perícia do Instituto de Criminalística, as imagens levantam a hipótese de incêndio criminoso. A análise é realizada a pedido da Polícia Civil, que investiga o caso.

No vídeo, é possível ver uma mulher entrando e saindo da área verde, que começa a pegar fogo minutos depois. Além dos gatos, outros animais, incluindo pássaros, vivem no local.

Identificada pela Polícia Civil, a mulher deve ser chamada para depor às autoridades nos próximos dias. Maria Aparecida e Elisandra já prestaram depoimento. A Comissão de Proteção e Defesa Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Franca foi acionada e está colaborando com a polícia nas investigações.

O crime foi registrado como crueldade contra animais. Caso o envolvimento da mulher no caso seja comprovado, ela poderá ser condenada a até cinco anos de prisão graças à Lei Sansão, recentemente sancionada.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>