Cadela é resgatada por ONG após tutora induzi-la a comer maconha


Filhote é induzido a comer maconha (Reprodução/Instagram)

Maya, uma cadela da raça pit bull com cerca de dois meses de idade, foi resgatada em Americana, no interior de São Paulo, após sua tutora induzi-la a comer maconha. Ana Beatriz Rocha, moradora do Jardim Terramérica, foi levada à delegacia e responderá em liberdade pelo crime de maus-tratos a animais.

O consumo de maconha pode causar sonolência e depressão nos animais, além do risco de afetar a coordenação motora, podendo causar acidentes, e de morte em casos extremos.

No dia 19 de setembro, Ana Beatriz publicou vídeos no Instagram nos quais aparece dando maconha para a cadela ao lado do namorado, que ainda não foi identificado. “Aqui ó”, diz o rapaz ao se referir à maconha. “Come tudo, mano”, diz a tutora à cadela. “Ela come, parece um aspiradorzinho de pó”, completou o rapaz. Depois de consumir a erva, a cadela aparece desanimada em um vídeo.

Delegado Bruno Lima segura o filhote de pit bull após levar tutora à delegacia (Reprodução/Instagram)

Após receber uma denúncia sobre o caso, o deputado estadual Bruno Lima (PSL), que é delegado da Polícia Civil, esteve em Americana e conduziu Ana Beatriz à delegacia. Em depoimento prestado na Central de Polícia Judiciária de Americana, a jovem afirmou que deu maconha “porque o animal era dela, e ela daria o que quisesse”. Além do crime de maus-tratos, Ana Beatriz também responderá criminalmente por posse de drogas e será multada.

Resgatada, Maya está sob a responsabilidade da ONG “Animais Têm Voz”. Apesar dos maus-tratos, ela não apresenta sequelas e passa bem. Enquanto a Justiça não decidir o destino da cadela, a pit bull não poderá ser disponibilizada para adoção, mas permanecerá em um lar temporário da entidade.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por DELEGADO BRUNO LIMA (@del.brunolima) em


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA

REVOLTA

AÇÃO SOCIAL

MÉXICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>