Pangolim corre risco de extinção em razão da caça


Divulgação

O Vietnã, país sul asiático, está reforçando a luta contra o tráfico de pangolins, o animal mais caçado no mundo que, de acordo com um estudo publicado na revista “Nature” feito pela Universidade de Hong Kong, levanta suspeitas sobre ter tido um papel significativo na transmissão do novo coronavírus aos humanos.

Entre janeiro e junho deste ano, aumentaram consideravelmente o número de prisões de traficantes de animais silvestres, em especial de pangolins, segundo a ONG Educação para a Natureza no Vietnã (ENV).

Dentre os casos detectados pelas autoridades, pelo menos 97% resultaram em prisões, enquanto nos anos anteriores a média foi de 87%, uma ampliação expressiva.

“O Vietnã fez grandes avanços no combate a esse crime, fortalecendo seu arsenal legislativo”, afirmou a organização.

Em 2018, o país retificou uma lei que visa a proteção de espécies ameaçadas pela caça, que aumenta as penalidades. Atualmente, este crime pode chegar a penas de até 15 anos de prisão e a multas de mais de 550.000 euros (mais de 77 mil reais).

O Vietnã carrega um número extensivo de consumo e tráfico ilegal de animais selvagens na Ásia, tal como pangolins, elefantes, tigres e ursos.

Na medicina tradicional chinesa, acredita-se que as escamas do mamífero (compostas por queratina) atuam na cura de artrite, úlceras, tumores e dores menstruais, porém as propriedades curativas nunca foram comprovadas cientificamente.

Estima-se que, entre os anos 2000 e 2013, mais de 1 milhão de pangolins tenham sido caçados. Além disso, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime analisa que, entre 2014 e 2018, aproximadamente 370 mil pangolins foram apreendidos em todo o mundo e milhões traficados e mortos.

Apesar de o comércio internacional ter sido proibido em 2017, todas as oito espécies de pangolins estão sob ameaça de extinção, devido a caça com intuito gastronômico pelas populações das zonas onde habita, a crença em seus atributos medicinais e o comércio ilegal em outros países.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>