Início Notícias Número de golfinhos cresce em Hong Kong após crise do coronavírus interromper...

Número de golfinhos cresce em Hong Kong após crise do coronavírus interromper circulação de barcos

Pixabay
Pixabay

Um grande número de golfinhos retornou às águas de Hong Kong semanas após a crise da Covid-19 impedir a circulação de barcos de alta velocidade. Agora, pesquisadores estão pedindo proteção para os golfinhos antes que as atividades marinhas sejam retomadas.

Os golfinhos do Indo-Pacífico, também conhecidos como golfinhos brancos chineses e golfinhos cor de rosa, são nativos do estuário do Rio das Pérolas, mas normalmente evitam as águas entre Hong Kong e Macau devido à grande quantidade de barcos de alta velocidade.

A Dra. Lindsay Porter, cientista pesquisadora sênior da Universidade de St Andrews, disse ao The Guardian que estava conduzindo pesquisas regulares logo após Hong Kong e Macau fecharem suas fronteiras, quando ela notou muitos golfinhos.

“Foi na última semana de fevereiro, literalmente a semana após as balsas pararem de viajar entre Hong Kong e Macau”, disse ela. “Tenho estudado esses golfinhos desde 1993 e nunca vi nada parecido com essa mudança dramática antes, e a única coisa que mudou foi que 200 balsas pararam de viajar antes.”

Os moradores de Hong Kong emprestaram à sua equipe um iate e um barco para que pudessem embarcar nas rotas vazias das balsas e realizar um estudo da população.
“Por observações visuais, os golfinhos estão gastando muito mais tempo socializando, espirrando água na superfície, um pouco de preliminares, um pouco de sexo”, disse ela.

“Os golfinhos de Hong Kong normalmente vivem nas margens, estão estressados, passam o tempo comendo e descansando. Então, vê-los jogando … vê-los se divertindo, foi muito agradável”

A equipe instalou estações de gravação subaquáticas nas rotas das balsas, e Porter disse que o próximo estágio de sua pesquisa seria comparar as vocalizações emitidas antes da Covid, com o alto tráfego, e agora.

A equipe é parceira do WWF Hong Kong, e Porter disse que a ONG incentivou o desvio das balsas para longe da área, uma vez que o transporte pode ser reiniciado com “alguns dólares a mais” por passageiro.

“O ideal seria que menos balsas funcionassem e que a indústria de cassinos de Macau fizesse melhor uso de ponte entre os dois territórios, inaugurada em 2018”, disse Porter.

WWF Hong Kong acredita que havia cerca de 2.500 golfinhos no estuário. Porter disse que é historicamente difícil registrar populações com precisão, porque o habitat atravessou o território chinês continental. Contudo, em Hong Kong e nas águas adjacentes a espécie está em declínio.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui