Home Notícias Grupos ambientais pressionam e Zimbábue proíbe a mineração em parques nacionais

Grupos ambientais pressionam e Zimbábue proíbe a mineração em parques nacionais

0
Grupos ambientais pressionam e Zimbábue proíbe a mineração em parques nacionais
Elefantes no Zimbábue | Foto: Reprodução Pixabay
Elefantes no Zimbábue | Foto: Reprodução Pixabay

O Zimbábue, país vizinho a Moçambique, no continente africano, proibiu a mineração em todos os seus parques nacionais. O projeto de mineração no parque foi fruto de uma parceria entre empresas chinesas e a estatal Zimbabwe Mining Development Corporation. Entretanto a medida mudou os planos das empresas, que buscavam iniciar as operações de mineração de carvão no famoso Parque Nacional de Hwange.

A partir dos esforços de grupos ambientais, a Ministra da Informação do Zimbábue, Monica Mutsvangwa, anunciou a proibição da mineração nos parques nacionais, e também a proibição da mineração ao longo de grande parte dos leitos dos rios.

“Estão sendo tomadas medidas para cancelar imediatamente todos os títulos de mineração mantidos em parques nacionais”, disse ela.

O Parque Nacional Hwange, o maior do Zimbábue, é o lar de mais de 40.000 elefantes, bem como mais de 400 espécies de pássaros e 100 mamíferos, incluindo o rinoceronte-negro, ameaçado de extinção.

Rinocerontes no Zimbábue | Foto: Reprodução Pixabay

A Associação de Advogados Ambientais do Zimbábue argumentou que a criação de uma mina de carvão causaria degradação ecológica “devastadora” e forçaria a vida selvagem a fugir para outros habitats que não os seus de origem.

Além disso, a mineração poderia prejudicar o turismo, que é uma importante fonte de renda para os residentes locais, e potencialmente aumentar a caça ilegal e os conflitos entre as pessoas e a vida selvagem, explicou a organização.

“Há risco alto de degradação ecológica irreversível, incluindo perda total de espécies animais e vegetais, redução de habitats de animais de muitas espécies raras, incluindo rinoceronte preto, pangolim, elefante e cães selvagens”, explica.

Em paralelo a proibição, o Zimbábue também ainda está investigando a causa da morte de 22 elefantes perto do Parque Nacional Hwange no início deste mês. As autoridades suspeitam que os jovens elefantes morreram depois de ingerirem plantas venenosas, devido à escassez de alimento provocada pelo verão forte no país.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here