Devastação ambiental

Incêndio no Pantanal destrói 92% de fazenda considerada refúgio de araras-azuis

A propriedade rural abriga 15% das araras-azuis que vivem livres na natureza

(Foto: Divulgação/Luciana Ferreira)
(Foto: Divulgação/Luciana Ferreira)

Reconhecida internacionalmente como refúgio de araras-azuis, a Fazenda São Francisco do Perigara, em Barão de Melgaço (MT), teve 92% da sua área destruída pelo fogo que devasta o Pantanal.

O município no qual a fazenda está localizada é o mais afetado pelos incêndios florestais que atingem o bioma. Foram 1.926 focos de queimada registrados apenas nos primeiros 15 dias de setembro, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A fazenda é o principal refúgio das araras-azuis no Estado de Mato Grosso e é responsável por abrigar 15% dos animais da espécie que vivem livres na natureza. Neiva Guedes, presidente do Instituto Arara Azul, contou ao Globo Rural que a fazenda é monitorada pela entidade desde 2001. No local, “dezenas de araras-azuis se reúnem todo final de tarde para pernoitar”.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Os focos de incêndio começaram a ser detectados na fazenda em agosto. Segundo Neiva, a situação atualmente é crítica. “Estão sendo feitos esforços para o controle do fogo, para que o dormitório e a parte do Pantanal não sejam atingidos, mas a situação é crítica e precisa de apoio de todas a forças públicas e privadas”, afirmou.

(Foto: Acervo pessoal/Ana Maria Barreto)

Mas não é só o fogo que coloca a existência dessas aves sob ameaça. A presidente da entidade cita ainda as alterações climáticas, a descaracterização do habitat e o tráfico de animais silvestres como importantes fatores que colocam as araras em risco.

Não se sabe ainda se as queimadas mataram araras-azuis que vivem na fazenda. Segundo Neiva, os adultos tendem a escapar, já que voam para fugir do fogo, “porém, ovos e filhotes podem morrer nos ninhos”. Na próxima semana, uma análise será feita para investigar as possíveis mortes.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui