Hackers invadem Instagram de ONG e prejudicam trabalho de resgate de animais


 

Ver essa foto no Instagram

 

Quem lembra da Bob?! . Achamos a Bob e a Olívia numa área desapropriada dentro de uma comunidade na Zona Norte de Osasco. . Quando chegamos lá o cenário era de horror. . Garoava!!! . Não havia comércio!!! . Era só nos duas andando no meio dos escombros, atrás de cachorro. . Quando finalmente encontramos a Bob, ela tinha um anjo que a protegia do frio e da chuva. . O Bob foi a nossa primeira grande ousadia, mas como iríamos deixar alguém ali, sem ninguém. . Voltamos com as duas!!! . Bob tinha por volta de 6 anos e estava bem doente e precisava de internação. . Olívia estava bem,porém era fundamental para a recuperação da Bob…deixamos ela em hotel na clinica para ficar com a irmã ( na clinica o preço,.foi feito por diaria) . Fizemos de tudo para dar a elas uma vida mil vezes melhor, mas infelizmente Bob faleceu 29 dias após o resgate. . Ficamos abaladas!!! . Estávamos Órfãos!!!! . Mas ainda tínhamos Olívia, uma menina tímida e cheia de vida que mais do que nunca precisava sair dali. . Ah nosso coração apertou … foi dificil libera lá para adoção … mas Olívia foi doada através de indicação. . #animais_alzira @animais_alzira #bob_alzirinha

Uma publicação compartilhada por animais_alzira (@animaisalzira) em

A conta do Instagram da ONG Animais Alzira foi invadida no último dia 6 de setembro por hackers. Segundo uma das idealizadoras do projeto, os criminosos fizeram ameaças e relataram que só devolveriam a conta da ONG no Instagram em troca de 100 dólares.

Para a design Raila Paris, 43 anos, que atua como uma das organizadoras do projeto, não tem como calcular o tamanho do prejuízo que o projeto teve com a invasão dos hackers a conta deles no Instagram.

“Teve dois animais que eu quis resgatar e não pude resgatar, a gente estava vindo em uma crescente muito boa mesmo com a pandemia conseguimos doar vários animais, fizemos vários resgates na quarentena, porque nosso Instagram tem muita força de divulgação”, declarou a protetora.

Além do resgate dos animais, Raila ainda destaca que com a impossibilidade de usar a conta as doações diminuíram. “Quando você fala em doação, sempre é complicado porque tem meses que entra um valor maior, outro mês entra um valor menor, mas sempre tinha uma reserva para cobrirmos os gastos mensais”, lembrou.

“Se eu falasse na nossas redes sociais que estava precisando de um valor para operar um dos animais resgatados, em dois a três dias conseguíamos angariar esse valor, nosso Instagram tem muito engajamento”, acrescentou a design em entrevista à ANDA.

Para a organizadora, a impossibilidade de usar o perfil no Instagram está refletindo no andamento dos projetos da instituição. “Tínhamos mais de 28 mil seguidores, não tem como comparar com uma conta atual de 300 seguidores, o nosso alcance está bem menor e isso refleti na rotina do nosso projeto”, relatou

“Agora vou fazer um pedido de ração e não sei se vamos ter o valor necessário para cobrir o valor gasto, eu tinha engajamento para vender duas ou três rifas ao mesmo tempo e isso ajudava bastante no andamento dos projetos”, ressaltou Raila.

A paulista ainda ressalta que a falta de renda pode prejudicar no tratamento dos animais que estão em recuperação. “Eu tenho animal em tratamento quimioterápico, tenho vários animais idosos, animais especiais com problema de pele, que precisam fazer exame de rotina, e sem renda fica difícil continuar”, pontuou a design.

Instagram

Segundo Raila, todas as vezes que tentou entrar em contato com o suporte do Instagram, não obteve nenhuma resposta. “O suporte nunca conseguiu falar comigo, porque o Hacker interfere antes, hoje temos 300 seguidores por que conseguimos avisar o máximo de pessoas, ele deixou a conta no ar por uns quatro dias, e falamos com seguidor por seguidor, mas o Instagram tem um limite de mensagens”, declarou a protetora.

A protetora ainda afirma que os criminosos entraram em contato com ela pedindo um valor irrisório para devolver a conta, mais uma proposta para comprar novos seguidores. “Eles me ameaçaram e me disseram que se eu quisesse a conta de volta, era para depositar um valor aproximado de 100 dólares, para mim isso é uma piada, porque eles sabem que a instituição arrecada bem mais que isso, então deixa bem claro que eles não querem devolver a conta para nós”, destacou Raila.

Para a design, o Instagram poderia dar um suporte melhor avisando os riscos que os internautas correm quando tem uma conta vinculada. “A nossa conta foi hackeada por que a gente tinha feito uma conta vinculada que tinha zero seguidores, zero fotos, foi por ali que invadiram a nossa conta, é culpa do Instagram que não avisa os riscos que a gente corre vinculando as contas”, ressaltou

Segundo a protetora, eles até conseguiram recuperar o perfil com ajuda de pessoas especializadas em programação na internet por cinco segundos, mas infelizmente perderam novamente a conta. Ela ainda ressalta que o novo perfil da ONG no Instagram não é falso.

“Às vezes, as pessoas encontram a nossa nova conta no Instagram, mas acham que é fake, e não é, eu tenho vontade de chorar, é muito triste e revoltante”, complementou a design.

Animais Alzira

A iniciativa nasceu há três anos cidade de Osasco, na Grande São Paulo, durante a realização de um mutirão de castração em que voluntários alertaram a população sobre a importância da esterilização para a saúde dos animais e para o controle populacional de cães e gatos em situação de abandono.

Na ocasião, a Raila e a Janaina Dornelas, 38 anos, corretora, que também foi umas das idealizadoras do projeto conheceram a Dona Alzira, uma acumuladora com mais de 50 animais, comovidas com a situação destes animais, elas resgataram e adotaram todos os animais.

O projeto já ajudou dezenas de animais a encontrar lares definitivos e temporários, além de resgatar vários outros em situação de rua. A iniciativa sobrevive com venda de camisetas, brinquedos e rifas, mas o que realmente sustenta e financia o projeto, são doações e o apoio da população.

Hackers invadem Instagram de ONG e prejudicam trabalho de resgate de animais
Foto: Reprodução/ Facebook/ Animais_Alzira

Ao longo dos três anos, a instituição já conseguiu doar mais de 250 animais, atendendo mais de 150 animais. Atualmente são 55 animais que são tutelados pela ONG, mas nem todos estão disponíveis para adoção, pois, alguns tem problema de saúde ou já estão muito idosos. Além de 10 cachorros que vivem no cemitério aqui em Osasco, que somos responsáveis pela manutenção do abrigo, e alimentação deles.

Quem quiser acompanhar melhor o trabalho da ONG Animais Alzira, pode acessar o perfil temporário da Instituição no Instagram e no Facebook.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

AMOR

VIDA NOVA

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>