Crueldade

Galos são encontrados em estado crítico e um deles morre após rinhas

Apesar dos maus-tratos, os galos ficaram sob a tutela do responsável pelo sítio onde eram explorados em rinhas por não haver local disponível para recebê-los

Foto: Polícia Militar Ambiental
Foto: Polícia Militar Ambiental

A Polícia Militar Ambiental flagrou a prática de rinha de galos no sábado (12) em um sítio em Mirante do Paranapanema, no interior de São Paulo. Uma das aves não resistiu aos ferimentos e morreu durante a operação policial. Outros 47 galos foram encontrados com vida.

O crime foi descoberto por conta de uma denúncia anônima. As multas aplicadas pelas autoridades superam R$ 320 mil.

Ao chegar no sítio, a polícia se deparou com um veículo e uma pessoa na porteira. A suspeita é de que o homem trabalhasse no local como olheiro e que tenha avisado os participantes da rinha ao fugir para dentro da propriedade rural.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO
Foto: Polícia Militar Ambiental

Cerca de 30 pessoas estavam no local, sendo que a maior parte delas fugiu com a chegada das autoridades. Apenas 10 pessoas foram abordadas pelos policiais.

Os galos eram mantidos dentro de um barracão, em viveiros apertados, sem água e comida. Alguns deles estavam presos em caixas de madeira. Três aves que haviam sido exploradas na rinha flagrada pelos policiais foram encontradas com esporas de acrílico.

A Polícia Científica esteve na propriedade e realizou uma perícia. O caso foi registrado na Delegacia da Polícia Civil, em Mirante do Paranapanema.

Foto: Polícia Militar Ambiental

Objetos usados para explorar os animais foram apreendidos pela polícia, dentre eles seis biqueiras de metal, cinco esporas de acrílico, quatro rebolos (rinha), uma balança para pesar os galos antes da rinha, uma mesa para medir a altura das aves e 20 sacolas transportadoras de pano.

Os galos ficaram sob a tutela do responsável pelo sítio por não haver local disponível para recebê-los.

Foto: Polícia Militar Ambiental
Foto: Polícia Militar Ambiental

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui