Amor

Policiais salvam cachorrinho deficiente e constroem cadeirinha com canos PVC

“Depois de abandonado, Bob finalmente tem um aconchego de amor e respeito humano”

Foto: Arquivo Pessoal/Rogério Rodrigues Alves
Foto: Arquivo Pessoal/Rogério Rodrigues Alves

Dois irmãos, em Minas Gerais, Rogério e Ricardo Rodrigues Alves, mostraram que sua conexão vai muito além do DNA. Ambos são policiais militares e amam animais. Esse fato os levou a fazer uma cadeira com cano de PVC para um cachorrinho resgatado.

Bob foi encontrado abandonado as margens de uma rodovia de São João Battista Glória, localizado em Minas Gerais. A três quilômetros de Passos, Rogério descobriu que o animal estava com fome, com sede e ferido.

“Costumo realizar este trajeto constantemente, pois frequento um rancho que temos à beira do Rio Grande. É costume as pessoas abandonarem animais na estrada, num local conhecido como Mangueiras. E partir daí, começou a fazer parte da minha rotina, levar ração e água para eles. Um dia, eu fui verificar se tinha algum animal no local e me deparei com o Bob deitado debaixo de uma mangueira, sem forças e bastante debilitado”.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Além de fornecer ração e água aos filhotes de cerca de um ano, Rogério também decidiu levá-lo ao veterinário, através do exame radiográfico, foram encontradas três lesões nas costas e uma na pelve.

Foi aí que seu irmão Ricardo entrou em cena. O cãozinho precisaria de ajuda para se locomover e evitar novos ferimentos. Mesmo buscando cadeirinhas, Rogério não encontrou nenhuma que fosse funcional para Bob. Então, o Ricardo decidiu confeccionar com canos de PVC a cadeirinha para o animal.

Segundo Ricardo, a montagem não foi difícil. Para a criação, ele utilizou 1,5m de cano de PVC de meia polegada, joelhos de 90 e 45º, porcas, arruelas, tampões, rodinhas, barra roscada e uma cinta de nylon com abotoador. A cadeirinha foi criada para ser adaptada de acordo com o crescimento do cão.

O veterinário que cuidoude Bob afirmou que ele tem grandes chances de voltar a andar sem a cadeirinha, mesmo com alguma limitação. Esse ato de amor não se limita ao Bob, os irmão tutelam outros dois cachorros, o Pirata e a Mel, que também são fruto de resgate, amor e empatia.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui