Mudança de consciência

Oriente Médio se torna novo alvo para a difusão de comida vegetariana estrita

A demanda por carne vegana e outros alimentos à base de plantas está aumentando no Oriente Médio e na África — principalmente nos Emirados Árabes Unidos (EAU).

Pixabay
Pixabay

A empresa de pesquisa de mercado, Triton, espera um aumento adicional no mercado de carne vegetal do Oriente Médio e africano nos próximos anos. Prevê uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 9,84% entre 2019 e 2027.

A crescente demanda do consumidor é motivada principalmente pela saúde, embora o impacto ambiental e ético continue sendo um fator.

Na Arábia Saudita, o principal fator do mercado vegano é uma crescente conscientização nacional sobre saúde e dieta. Segundo Triton, isso pode estar relacionado ao aumento dos níveis de obesidade — uma das principais causas de morte no país.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Triton também liga a crescente demanda vegana da Arábia Saudita à juventude do país. Globalmente, o impulso para a alimentação baseada em vegetais por razões éticas e ambientais é liderado principalmente pelos jovens. A Triton espera aproximadamente 12 novos restaurantes veganos no Oriente Médio, que expandirão ainda mais o mercado.

A Associação Vegana e Vegetariana da Turquia promove consistentemente uma dieta vegana. Enquanto vários festivais regionais recentes — incluindo um em Didim — também ajudaram a aumentar a popularidade do veganismo. Muitos dos pratos regionais e nacionais tradicionais, como cuscuz, falafel e hummus, já são naturalmente sem carne e vegetarianos.

Várias grandes marcas de alimentos do Oriente Médio estão aumentando a ênfase na carne vegana e outros alimentos. Globalmente, produtos à base de plantas — e alternativas à carne, em particular — são cada vez mais desenvolvidos para atrair as massas, não apenas vegetarianos e veganos.

Carne vegetal nos Emirados Árabes Unidos

Os Emirados Árabes Unidos são cada vez mais aderentes ao veganismo. Em 2018, as unidades da Bareburger em Abu Dhabi e Dubai lançaram o Beyond Burger, baseado em folhas. Enquanto o Applebee’s em Dubai serve hambúrgueres veganos B12 fabricados pela marca britânica Moving Mountains. Em 2019, o Veganity — que foi inaugurado em Dubai em 2017 — se tornou o maior restaurante à base de plantas do mundo.

A Triton lista Beyond Meat, VBites, Cauldron Foods e Tofurky entre as marcas que se tornaram “grandes jogadores” no mercado vegano do Oriente Médio. Enquanto marcas sediadas nos Emirados Árabes Unidos, como a empresa de alimentos congelados Healthy Farm, também pretendem atender às mudanças do mercado.

“Não estamos mais no estágio experimental em que as fontes de proteína vegetal são um truque ou algo singular”, disse Jacek Plewa, gerente geral da marca. “Essas alternativas estão impressionantemente ganhando preferência em todo o mundo. Os consumidores reconhecem o impacto tangível deixado pelas escolhas nutricionais na saúde, bem-estar, meio ambiente e bem-estar dos animais.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui