Conscientização

Ativistas se unem para celebrar o primeiro Dia de Respeito aos Peixes

Pixabay
Pixabay

Hoje, dia 01 de agosto, será celebrado pela primeira vez o Dia de Respeito aos Peixes. A data foi pensada como um marco para trazer conscientização às condições dos trilhões de peixes explorados anualmente pelas indústrias alimentícias, esportivas, científicas e de animais mantidos em cativeiro.

A nova data comemorativa é uma campanha liderada pelo grupo em defesa dos direitos animais Em Defesa dos Animais (In Defense of Animals / IDA) e está sendo reforçada por mais de 250 resgates de vida selvagem, organizações de saúde, abrigos de animais e organizações de advocacia.

O propósito do Dia de Respeito aos Peixes é trazer conscientização quanto às condições dos peixes – que são frequentemente ignorados apesar de serem a espécie animal que mais sofre abusos no mundo. Trilhões de peixes são mortos todo ano pela indústria alimentícia, a indústria de animais de aquários, em laboratórios, e por esportes, ainda assim sendo excluídos de muitas leis de proteção como a Lei de Bem-Estar Animal, a Lei de Métodos Humanos de Sacríficio, e a Lei de Prevenção à Crueldade e à Tortura Animal.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Esperamos que esta campanha estabeleça uma fundação para esforços futuros de proteção aos peixes e ajude organizações a incorporar ações em prol desses animais em seus portfólios de campanha. Conforme ganhamos força, a percepção pública em relação aos peixes irá melhorar e haverá maior suporte para que a legislação restrinja sua exploração”, Shimon Shucat, Coordenador Chefe da AID para o Dia de Respeito aos Peixes, diz. “Certamente há muito trabalho a ser feito.”

A celebração vem em resposta à uma ordem executiva assinada pelo Presidente Trump em maio que visa a desregularização da indústria de frutos do mar e o aumento de pisciculturas concentradas, um detrimento ao bem-estar ambiental e dos peixes em si. Em junho, Trump também permitiu a continuação da pesca no Northeast Canyons and Seamounts Marine National Monument, um trecho de quase 5,000 milhas de água e terra que abriga ecossistemas marinhos sensíveis.

“Em um mundo com crescente conscientização pública sobre os males da agricultura industrial, devemos trabalhar visando maior transparência e escrutínio público, não menos”, Nadia Schilling, diretor de campanha da AID para animais de criação, diz.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui