Tubarões-cinzentos-dos-recifes criam laços de amizade duradouros


Todd Bretl Photography/Getty Images

Os tubarões-cinzentos-dos-recifes são predadores velozes e de olhos grandes que frequentam os recifes de coral nos oceanos Pacífico e Índico. Eles costumam sair para o mar aberto à noite para caçar. Mas durante o dia, retornam ao mesmo local em seu recife, reunindo-se em grupos de até 20 indivíduos.

Para estudar este comportamento social, biólogos marinhos da Florida International University marcaram 41 tubarões cinzentos do recife perto do Atol de Palmyra, uma ilha remota do Pacífico a mais de 1 600 quilômetros da costa do Havaí.

Os marcadores incluíam transmissores acústicos que podiam identificar tubarões individuais. Dezenas de receptores colocados em toda a área permitiram que a equipe reconhecesse qualquer outro tubarão marcado que estivesse a 300 metros, de acordo com a New Scientist.

Ao longo dos quatro anos de estudo — correspondente a vida útil das baterias dos transmissores — eles descobriram que os tubarões formavam grupos incrivelmente estáveis.

Apesar da presença de cerca de 8 mil tubarões cinzentos ao redor da ilha, aqueles que foram marcados raramente se perdiam em outros grupos. Eles também frequentaram a mesma seção do recife, ano após ano, de acordo com um relatório publicado recentemente no Proceedings of the Royal Society B.

“Não pensamos nos tubarões como animais sociais, mas eles têm grupos sociais”, disse Yannis Papastamatiou, principal autor e chefe do Laboratório de Ecologia e Conservação de Predadores da universidade, à New Scientist. “Eles formam esses tipos de grupos sociais espacialmente estruturados, onde convivem com os mesmos indivíduos por vários anos.”

Papastamatiou descreveu esses relacionamentos como “associados”. Não está claro como os tubarões se identificam ou porque formam laços tão fortes. Suas expedições noturnas acontecem em mar aberto, longe demais para os transmissores da equipe registrarem. Mas é possível que, trabalhando em grupo, aumentem suas chances de encontrar muitas presas. Independentemente disso, essas associações de longo prazo são raras no reino animal e quase inéditas entre os tubarões.

Os tubarões-cinzentos-dos-recifes também são incomuns em outros aspectos: das mais de 500 espécies de tubarões no mundo, eles pertencem a uma pequena porcentagem conhecida por exibir ‘comportamentos de ameaça’, alertando que estão se preparando para atacar. Apesar de seu tamanho — cerca de um metro e oitenta de comprimento —, eles conseguem dominar outros tubarões maiores na área.

Mas, como muitos tipos de tubarão, os tubarões cinzentos estão em sério declínio: eles são mortos por suas barbatanas, que são usadas na sopa de barbatana de tubarão. A União Internacional para a Conservação da Natureza os classificou como “quase ameaçados”. Seu número cada vez menor pode ter sérias repercussões nos delicados ecossistemas de corais que habitam.

No ano passado, cientistas instalaram câmeras subaquáticas em mais de 370 recifes, anexando iscas para atrair tubarões de recife próximos. Em quase um em cada cinco recifes, nenhum tubarão foi avistado, informou a BBC.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>