Polícia flagra matadouro clandestino com corpos de animais enterrados em área de preservação ambiental


Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) fechou um matadouro clandestino em uma fazenda na cidade de Guarani. Corpos de animais estavam enterrados em covas e despejados sobre vegetações e rios, inclusive em áreas de preservação ambiental permanente.

O local foi encontrado na terça-feira (18) graças a investigações de cavalos e bois levados levados de propriedades rurais por criminosos. No matadouro, cavalos, éguas, burros, bois e porcos eram mortos.

Além do descarte dos corpos ter sido realizado em desacordo com a legislação ambiental e sanitária, os responsáveis pelo matadouro comercializavam a carne dos animais em condições impróprias para o consumo, colocando a vida das pessoas em risco.

Os clientes dos açougues abastecidos pelo matadouro também eram enganados. Isso porque a carne de cavalos, éguas e burros era vendida como se fosse de boi.

A operação de fechamento do estabelecimento foi realizada pela Polícia Militar do Meio Ambiente em parceria com o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Três funcionários foram interrogados e os depoimentos serão usados na investigação. O proprietário da fazenda é procurado pela polícia.

O delegado José Luiz Quintão informou que os próximos passos das investigações incluem a identificação dos açougues que recebiam as carnes fornecidas pelo matadouro. A polícia pretende descobrir também de onde vinham os animais para saber se foram sequestrados de seus tutores e flagrar outros matadouros clandestinos.

As pessoas envolvidas no caso poderão responder pelos crimes de maus-tratos a animais, ausência de licenciamento ambiental, poluição ambiental e furto e roubo de animais. Somadas, as penas passam de 15 anos de prisão.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA

REVOLTA

AÇÃO SOCIAL

MÉXICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>