Decisão inédita condena caçador por morte do gorila Rafiki em Uganda

09/08/2020


Foto: Twitter

Em uma primeira condenação do tipo, a corte de Uganda prendeu um caçador por seis anos após ele admitir ter matado um dos mais conhecidos gorilas-da-montanha do país em um parque nacional.

Felix Byamukama, da vila de Murole, no distrito de Kisoro – localizado no sudoeste do país –, declarou-se culpado de entrar ilegalmente em uma área de proteção e de ter matado o gorila chamado Rafiki e um antílope Cephalophinae – animal de pequeno porte encontrado na região. Anteriormente, Byamukama disse ter matado o gorila em legítima defesa depois de ter sido atacado pelo animal. É a primeira vez que Uganda, lar de 50% dos gorilas-da-montanha do mundo, prendeu alguém por tal crime e a sentença foi amplamente bem recebida por grupos que cuidam da vida selvagem.

O magistrado-chefe de Kisoro, Julius Borere, na quarta, 29, entregou as sentenças concorrentes de seis, cinco e cinco anos pela morte do gorila, pela morte do antílope e pela posse de carne de porco-do-mato-africano e de antílope da subfamília Cephalophinae.

Byamukama foi preso no dia 4 de junho com 3 outras pessoas pela morte de Rafiki no Parque Nacional Impenetrável de Bwindi.

Ele foi encontrado em posse de uma lança e de armadilhas feitas de corda.

As três outras pessoas, Evarist Bampabenda, Valence Museveni e Yonasi Mubangizi, negaram as acusações e foram encarcerados na prisão de Kisoro, onde aguardam julgamento.

O gorila foi dado como desaparecido no dia 1º de junho e o seu corpo foi encontrado no dia seguinte por um time de busca na área de Hakato.

Em um comunicado de imprensa, Sam Mwandha, diretor-executivo da Autoridade pela Vida Selvagem de Uganda (UWA), saudou a decisão histórica.

“Nós estamos aliviados de que Rafiki recebeu justiça e isso deveria servir como um exemplo para outras pessoas que matam a vida selvagem”, disse Mwandha.

“Se uma pessoa mata a vida selvagem, todos nós perdemos; portanto, nós pedimos a todas as pessoas para apoiarem nossos esforços de conservar a vida selvagem para o presente e para futuras gerações.”

Paul Lubega, um operador de passeio, tuitou: “Este cara merece uma vida na cadeia.”

Na data de sua morte, o gorila, que acreditam que tivesse por volta de 25 anos, era o líder de uma família de 17 membros, que incluía oito fêmeas adultas, dois jovens e três crianças.

“A nova lei [Uganda Wildlife Act 2019] é dura e qualquer pessoa envolvida em atividades ilegais com a vida selvagem irá enfrentar a ira da lei”, disse Mwandha.

O decreto, assinado para ser lei pelo presidente Yoweri Museveni no dia 1º de julho do ano passado, é mais rigoroso do que seus antecessores e dá penalidades para crimes relacionados à vida selvagem, incluindo caça e extração ilegal de recursos de áreas protegidas.

“A ideia por trás da lei era que as penalidades severas deteriam os crimes à vida selvagem. Isso é particularmente importante agora que a Covid-19 afetou severamente o sustento de pessoas que se beneficiavam do turismo no entorno das áreas protegidas”, disse Edmond Twinobusingye, gestor ambiental e biólogo especialista em conservação, ao jornal The Guardian.

“Nós corremos o risco de essas pessoas transformarem a caça de vida selvagem e a extração de recurso de áreas protegidas para sustentarem seus meios de vida.”

UWA disse que houve um aumento da caça à vida selvagem e que mais de 300 incidentes foram registrados em parques nos meses seguintes ao fechamento por conta da quarentena nacional referente à Covid-19 imposta em março.

Com o aumento de casos de Covid-19 em Uganda e nos países vizinhos, Twinobusingye disse que era vital que os humanos ficassem longe dos primatas para evitar a transmissão cruzada do vírus e de outras zoonoses para eles.

“Se os gorilas contraíssem Covid-19, seria um desastre para a economia local e para as receitas advindas do turismo, já que a trilha dos gorilas é uma das atividades mais procuradas nos parques de Uganda”, disse.

“Nós precisamos de um maior envolvimento das comunidades nas atividades relacionadas à conservação da vida selvagem e existe a necessidade de apoiar as comunidades no entorno das áreas protegidas para diversificar as atividades de geração de renda agora que o turismo está em baixa. Isso irá prover outras opções que não seja depender da extração ilegal de recursos de áreas protegidas”, disse Twinobusingye.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"62516":{"name":"Main Accent","parent":-1}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default Palette","value":{"colors":{"62516":{"val":"rgb(255, 255, 255)"}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
DOE AGORA

COMPARTILHE:

Você viu?


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
>