Crime

Com aumento do abandono nas férias, 46 mil animais são descartados na França

Abandonados à própria sorte, os animais são muitas vezes deixados em rodovias quando os tutores viajam

Pixabay
Pixabay

Assim como acontece no Brasil, o abandono de animais aumenta durante o período de férias na França. Todos os anos, cerca de 46 mil animais são resgatados pela Sociedade Protetora dos Animais (SPA), sendo um terço no verão.

Os tutores saem pra viajar durante as férias de julho e agosto e deixam seus animais à própria sorte na beira das estradas, correndo riscos de atropelamento e expostos à fome, sede e todo tipo de maus-tratos.

Jacques-Charles Fombonne, presidente da SPA, afirmou ao jornal Libération que as causas do abandono não são tanto por questões financeiras. Isso porque a SPA oferece atendimento para animais de famílias carentes através de uma rede de centros veterinários.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O motivo real está relacionado à exploração animal para reprodução e venda. Segundo o presidente da ONG, a compra compulsiva de animais, sem preparação do próprio animal e do novo tutor, causa abandonos por conta das expectativas equivocadas sobre o comportamento de um cão ou gato. Fombonne disse que os vendedores comercializam “bolas de pelo fofinhas, sem garantir que os compradores possam cuidar deles”. No caso dos animais adotados, essa precaução é tomada pelos voluntários da SPA.

O jornal lembrou que “na internet é possível comprar com alguns cliques filhotes de todas as raças” e que o tutor, ao ver o animal como um produto (condição a qual ele equivocadamente é reduzido justamente por ser comercializado) decide se desfazer dele sem considerar que o animal precisa ser educado com paciência.

“O mínimo a fazer seria deixá-los em um abrigo, que é gratuito. É melhor que abandoná-los na estrada”, afirmou Fombonne.

Diante desses abandonos cruéis, deputados franceses apresentaram um projeto de lei no mês passado que visa punir esses crimes com mais rigor. Tutores que abandonam animais poderiam ser condenados a até quatro ano de prisão, além de 60 mil euros de multa.

A medida ainda expõe a possibilidade do tutor que abandonar ou maltratar um animal ser proibido de comprar ou adotar um novo cão ou gato e de tornar a castração de gatos obrigatória aos seis meses de idade. Isso porque um casal de gatos pode gerar até 20 mil filhotes em apenas quatro anos, que podem sofrer com o abandono ao nascerem na rua.

Atualmente, a SPA arca com 50% dos custos da castração aos tutores interessados em esterilizar seus animais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui