Inglaterra

Cervo é condenado à morte após interagir com humanos em parque

Reprodução | Daily Mail
Reprodução | Daily Mail

Um cervo foi morto a tiros no Knole Park, em Kent, na Inglaterra, após ser alimentado por uma família. O parque é aberto para visitação e muitas pessoas escolhem o local para fazer piquenique e refeições rápidas. Para impedir que os visitantes alimentem os animais, há placas em todo o local informando que é proibido dar qualquer comida aos cervos.

Apesar da restrição e dos avisos de conscientização, uma família alimentou o animal com uma cenoura. Após receber comida de seres humanos e ser condicionado, o cervo passou a pedir mais alimento para outros visitantes e o comportamento do animal mudou muito, passando, inclusive, a expressar agressividade. Para evitar acidentes, o parque o matou a tiros.

Após saber da morte do cervo, Victoria Chaney fez uma postagem em uma rede social confessando que ela e sua família foram os culpados e afirmou que todos estavam chateados e arrependidos, pois acreditaram que por o parque permitir a presença de seres humanos, dar alimentos naturais não fariam mal aos animais do local, mas a declaração rendeu muitas críticas.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Diversos internautas acusam a família de causar deliberadamente a morte do animal por negligenciarem os avisos alertando para não alimentar os animais. “Eu simplesmente não entendo, se você é convidado a não alimentar o cervo, isso significa que não alimente o cervo com nada, simples assim”, disse uma internauta. Ativistas também se posicionaram.

Grupos em defesa dos direitos animais questionaram a postura do parque, que além de se apropriar do habitat dos animais, os condenam à morte por interagirem com seres humanos que sequer deveriam ter permissão de acessar o local. Ativistas apontam que além da inconsciência da família que alimentou o cervo, há também a responsabilidade do parque que não preservou a segurança do animal indefeso.

Um representante do parque informou que o animal foi morto para a proteção do próprio cervo, que ao se tornar dócil, está mais vulnerável, e também para a proteção dos habitantes. O parque informou que reforçará os avisos de proibição para evitar que o episódio se repita.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui