Heroísmo

Cão morre ao receber mais de 200 picadas de abelha enquanto tentava salvar tutoras

Tufão, como era chamado o cachorro, sacrificou a própria vida para proteger quem ele mais amava

Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

“Um herói”, assim foi chamado o cachorro que enfrentou um enxame de abelhas para proteger suas tutoras em Brasília. Aos sete anos de idade, Tufão morreu em decorrência das mais de 200 picadas que recebeu dos insetos.

O caso aconteceu no estacionamento do Parque da Cidade, no último domingo (19). A advogada Luana Lara Vieira, de 38 anos, e sua mãe, de 72 anos, foram protegidas pelo animal. O outro cão da família, Beck, de dois anos, também estava no local e fugiu. Ele foi encontrado no mesmo dia e está sendo medicado.

Os insetos surgiram quando a família descia do carro. “Eu sequer consegui descer minhas coisas do carro, e as abelhas vieram”, disse. “Eu cheguei a falar: a gente vai morrer aqui”, completou.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Em entrevista ao G1, a advogada falou sobre o ato heroico de Tufão, que sacrificou a própria vida para proteger quem ele mais amava. “Foi muito rápido, minha mãe começou a gritar: ‘tem um enxame aqui’. E já tinham muitas abelhas no corpo. O pelo dos cachorros já estava tomado de abelha. Pensei em entrar no carro, mas ficou cheio também”, disse.

Enquanto as abelhas picavam os animais e suas tutoras, Tufão as enfrentava. Em um determinado momento, ele chegou a entrar embaixo do carro para se proteger. Após a situação ser controlada, o cão foi levado ao veterinário, mas morreu no dia seguinte.

“Ele sempre teve um instinto protetor e ficou lá, próximo da gente. Para mim, ele foi um herói”, disse a advogada.

“Ninguém conseguia nos ajudar, e eu entendo o receio. Um homem chegou a me oferecer carona, mas eu falei que não podia entrar no carro dele daquele jeito, porque tinha muita abelha no corpo ainda”, contou.

Para se livrar das abelhas, Luana teve que rolar no chão. Uma mulher que passava pelo local acionou o Corpo de Bombeiros e os militares ajudaram a espantar os insetos usando água.

A administração do parque se desculpou pelo acidente e lamentou a morte de Tufão.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui