Situação alarmante

Número de pinguins debilitados e mortos no litoral de SC preocupa especialistas

Foram resgatados 1.097 pinguins no litoral de Santa Catarina durante o mês de junho

Foto: Divulgação/PMP BS Univali
Foto: Divulgação/PMP BS Univali

O número de pinguins-de-magalhães mortos e debilitados que surgiram no litoral de Santa Catarina no mês de junho gerou preocupação a pesquisadores e ambientalistas por conta do aumento significativo em relação ao mês anterior. Foram 4 pinguins em maio e 1.097 em junho. Nos dois anos anteriores, menos de 100 aves foram resgatadas em junho.

Não se sabe o que tem adoecido e matado os pinguins. “Entretanto, a gente tem visto vários animais que estão relativamente saudáveis e com alimento no estômago, mas que estão afogados e com marcas de rede”, disse André Barreto, coordenador-geral do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) em Santa Catarina e no Paraná.

E se antes esses animais apareciam em estado avançado de decomposição, hoje isso não acontece mais. O que indica que as mortes estão ocorrendo perto da praia, podendo haver ligação com a ação humana através da pesca.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“A minha suspeita da sobrepesca é essa porque ele chega aqui e ele ainda está com um peso muito abaixo. Então, possivelmente uma das suspeitas é que ele não esteja encontrando alimento”, disse ao G1 Tiffany Emmerich, doutora em Patologia Animal.

“Nós fizemos a necropsia de um pinguim que era juvenil e estava bem abaixo do peso. E quando a gente foi pro exame interno, que é a abertura das cavidades, a gente observou que ele tinha dentro do estômago quatro fragmentos de canudinhos”, completou.

Quando a ave consome plástico, seu cérebro entende que há comida no estômago. Por isso, o animal não se alimenta mais e morre.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui