Amor incondicional

Tutor publica despedida emocionante após gatinha falecer

Gatinha faleceu no último dia 29 de junho, após sofrer com uma anemia severa.

Foto: Arquivo Pessoal/ Marcelo Luís Dias

O eletrotécnico Marcelo Luís Dias, 48 anos, publicou nas suas redes sociais a despedida emocionante da sua gatinha Micaela, falecida no dia 29 de junho, após sofrer de uma anemia severa. O caso aconteceu na cidade de Curitiba, capital paranaense.

Ele decidiu publicar as fotos e os vídeos do velório, após ser surpreendido com o serviço da empresa de cremação, que realizou uma linda cerimônia, possibilitando-o de dar o último adeus a sua pequena gatinha.

“Decidir registrar para mostrar para minha esposa e para minha filha que não puderam ir ao local, e resolvi compartilhar nas minhas redes sociais, porque queria homenagear a minha gatinha, ainda mais que ela parecia que apenas estava dormindo”, disse Dias em entrevista à ANDA.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Marcelo ainda cita que ficou muito surpreso com a preparação do velório pela empresa de cremação. “Eu não conhecia este serviço, achei que seria apenas a cremação em si, fiquei muito feliz e sensibilizado em poder fazer um último carinho na minha pequena Micaela”, pontua.

Veja no vídeo abaixo a bela homenagem feita para a pequena gatinha Micaela:

Micaela, como foi batizada a pequena gata, chegou recém-nascida a casa do eletrotécnico em novembro de 2005 e imediatamente se tornou membro da família, inspirando Dias e sua esposa, Valdirene Malta, a adotar mais quatro gatos ao longo dos últimos 15 anos.

“Ela foi a única que comprarmos, minha esposa comprou ela em uma feira de filhotes no estacionamento de um supermercado, quando eu sai, a gata já estava com minha esposa e minha filha, que na época tinha cinco anos”, ressaltou.

Marcelo afirma que Micaela não foi apenas um animal doméstico, mais sim uma verdadeira companheira, estando ao seu lado em todos os momentos e ainda o ensinando o sentindo do verdadeiro amor.

“Nesses 15 anos, ela me ensinou a entender e amar incondicionalmente os animais, pois antes de casar com sua mãe humana, não conhecia esse amor imenso que os gatos trazem para dentro de uma casa” afirmou o tutor.

O eletrotécnico ainda lembra de muitos momentos que viveu com a gatinha que jamais serão esquecidos. “Vou sentir falta do seu ronronar no meu peito, dela amassar pãozinho no meu corpo, de bater suas patinhas me avisando para não escovar seus pelinhos, do seu olhar penetrante para mostrar que manda”, relembrou o protetor.

Já para a assistente de atendimento Valdirene Malta Dias, 46 anos, esposa de Marcelo, Mika, como era carinhosamente apelidada pela tutora, foi quem fez o seu marido despertar o amor pelos animais domésticos. “Foi a Mika que despertou o amor do Marcelo pelos gatos, e o reforço desse amor foi com a adoção da nossa segunda gatinha (Sissy), nossa ferinha que adorava implicar com a Mika”, lembra a tutora.

Ela completamente reforçando o quanto a gatinha fará falta para toda a família. “Mika é o amor da minha vida, quando passo pelo cantinho da casa que ela mais gostava de ficar, parece que vejo ela, ela tinha um jeitinho único de me olhar, ainda dói muito a falta dela, muito mesmo”, concluiu.

Foto: Arquivo Pessoal/ Marcelo Luís Dias

Amor sem limites

Mas quem pensa que a família Dias se limitava dar carinho e amor somente a gatinha Micaela, se engana. Além da gata Mika, que, infelizmente, faleceu no último mês, o casal Dias cuida de mais quatro gatas na sua residência em Curitiba (PR).

São elas: (Sissy- toda cinza), (Laleska- tricolor), (Kyra- pretinha) e a caçulinha Maya.

Arquivo pessoal/ Marcelo luís Dias

Para o eletrotécnico, os animais são muito importantes para a rotina da família. “É uma relação de quase filhas, eu e minha esposa chamamos elas de filhas, e minha filha chama as gatas de irmã”, afirmou.

Ele salienta ainda que cada uma tem uma característica especifica e todas são insubstituíveis. “Uma é diferente da outra, tem personalidades diferentes, então quando uma morre, não tem como simplesmente substituir aquele amor que você tinha pelo animalzinho”, disse Dias.

Já para sua esposa Valdirene Malta, só quem vive a experiência de tutelar gatos em casa pode entender o quanto eles são amorosos e companheiros. “Meus gatos são a minha vida, do meu marido e da minha filha, se eles não estão bem, ninguém aqui em casa fica bem”, ressaltou.

Ela conta ainda que já deixou de receber visitas em casa por conta das suas gatinhas, pois o bem-estar delas é a prioridade da família. “Muita coisa aqui em casa gira em torno delas, elas dão muito carinho a nós, e retribuirmos todo esse amor em dobro”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


2 COMENTÁRIOS

  1. Mika foi comprada e ensinou a Marcelo e Valdirene o amor aos animais. E o mais importante: despertou neles a importância da adoção de animais abandonados. Ela morreu idosa e num ambiente de muita felicidade e zelo, parabéns pela linda história de vocês. Mika deixou o seu legado.

  2. Fiquei hiper emocionada c/o relato do tutor da eterna gatinha Mikaela,espero que c/esse relato as pessoas respeitem e amem mais os animais eles são tudo de bom.Amor incondicional,eu fico s/palavras p/falar desses anjinhos de quatro patas que amo de paixão.Meus sinceros sentimentos à famìlia da Mikaela que Deus conforte o coração de vcs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui