China

Treinador é criticado por abusar de beluga em parque aquático

Reprodução
Reprodução

O treinador de baleias beluga de um parque aquático da China está sendo duramente criticado por internautas de todo mundo após a divulgação de um vídeo que mostra o homem montando no animal enquanto a treina para uma atração. Ele é acusado de tortura e crueldade contra animais e está sendo considerado por jovens chineses como o símbolo do porquê atrações que exploram animais devem ser boicotadas.

O episódio ganhou uma repercussão tão grande nas mídias sociais do país que o aquário publicou um comunicado tentando esclarecer os maus-tratos e justificar a atitude do treinador afirmando que as belugas são muito “apegadas emocionalmente” ao funcionários do local e para elas esse tipo de prática é considerada como “carinho” e “brincadeira”. No entanto, a desculpa não surtiu efeito.

Um internauta aponta que não é ético banalizar a submissão de animais que sofrem com profundos traumas psicológicos. “[Ele] geralmente se exibe em pé em cima das baleias beluga postando vídeos em uma plataforma de transmissão ao vivo. [Os vídeos] têm um impacto social extremamente terrível e esperamos que os departamentos relevantes prestem muita atenção”, disse em uma rede social.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Outro internauta chinês criticou também a retirada de animais marinhos de seus habitats com intuito de seres explorados apenas para entreter seres humanos. “Isso é prisão e crueldade para com os animais. Baleias e golfinhos deveriam viver no mar, mas agora estão confinados em pequenas prisões. Eles são forçados a realizar e trabalhar em aquários todos os dias. É tudo crueldade e tortura”, salientou.

O parque aquático Luoyuanwan fica localizado em Fuzhou, província de Fujian. O local aprisiona golfinhos, belugas e tubarões e os obriga a participar de espetáculos e a aprender truques e performances anti-naturais apenas para o deleite do público. Após as críticas, o parque excluiu vários vídeos que reuniam comentários e reações de repúdio.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui