Crueldade

ONG britânica expõe violência por trás da carne de porco

Viva! mostra que a realidade por trás de uma certificação de "bem-estar animal" pode ser diferente do que os consumidores de carne de porco imaginam

Reprodução
Reprodução

Na segunda-feira (22), a organização britânica Viva! disponibilizou em seu canal no YouTube um vídeo que expõe cenas de violência envolvendo a criação de porcos com fins de consumo na Inglaterra.

O vídeo que mostra animais sendo espancados e arremessados, incluindo leitõezinhos com poucos dias de idade, é resultado de filmagens realizadas com câmeras escondidas ao longo de três semanas.

O que está chamando a atenção no Reino Unido é que as imagens foram feitas em propriedades de onde partem animais que terão suas carnes comercializadas em grandes redes de supermercados do país – como a Morrissons. Ou seja, ao alcance de muitos consumidores.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Carnes vendidas com certificação de “bem-estar animal”

Além disso, são carnes vendidas com certificação de “bem-estar animal”, o que pode levar consumidores a entenderem que a criação de animais para consumo e com fins de abate não é nada romântica, porque já traz em si uma fácil associação com a violência inerente à indústria da carne – o que varia é o nível de crueldade.

Para além de práticas já comuns, como manter animais em estado de privação e confinamento até o dia em que são encaminhados aos matadouros, a organização encontrou animais feriados antes de serem encaminhados para o abate.

“Encontramos um leitão com uma anomalia no estômago, jogado em um corredor e se contorcendo de dor. O animal havia sido abandonado, deixado sozinho para sofrer uma morte lenta e dolorosa.”

A investigação da Viva! também mostra leitões que não se desenvolveram “como deveriam”, considerados desinteressantes para a indústria da carne, sendo abatidos de forma bem cruel – arremessados com violência contra um piso de concreto.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui