Ativistas esperam que festival chinês de carne de cachorro realizado neste ano seja o último

Mariana
junho 22, 2020

(Johannes Eisele/AFP/Imagem Ilustrativa)

Ativistas esperam que o festival chinês de carne de cachorro, iniciado nesta segunda-feira (22) na cidade de Yulin, seja o último. Realizado durante dez dias, o evento é responsável pela morte de cães condenados a extremo sofrimento.

O número de cachorros explorados para o festival deste ano, no entanto, diminuiu, segundo defensores dos direitos animais, que esperam que leis que devem ser elaboradas pelo governo chinês coloquem fim ao comércio de animais selvagens e domésticos no país.

“Espero que Yulin mude não apenas pelo bem dos animais, mas também pela saúde e segurança de seu povo”, disse Peter Li, especialista em políticas da China na Humane Society International, grupo de defesa animal, em entrevista à agência de notícias Reuters.

“Permitir que grandes grupos comercializem e consumam carne de cachorro em mercados e restaurantes lotados em nome de um festival representa um risco significativo à saúde pública”, completou.

O discurso do ativista faz referência à relação entre o surgimento de doenças e a exploração animal. Isso porque, assim como já aconteceu no passado, o coronavírus, que atualmente se alastra pelo mundo, surgiu em um mercado de animais na cidade chinesa de Wuhan. Além disso, durante um segundo surto da doença registrado recentemente no país, encontrou-se o vírus em uma tábua usada para cortar salmão, o que revela uma nova possível relação entre o coronavírus e a exploração animal.

O vírus fez a China reavaliar sua relação com os animais e prometer proibir o comércio de animais selvagens em Wuhan. Em maio, a China também retirou os cachorros da lista de animais que podem ser criados, negociados e transportados para fins comerciais. A medida, que faz com que os cães deixem de ser considerados animais para consumo, foi executada durante atualização do Diretório de Recursos Genéticos Para Pecuária e Agricultura. Além disso, Shenzhen e Zhuhai, duas cidades chinesas, já proibiram o consumo de carne de cachorro e gato.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.



Você viu?

Escute Foto: Instagram @saminthewild_

Escute Pixabay O aquecimento

Escute Pixabay Os guepardos

Escute Shutterstock Fernanda* tem

Escute Divulgação A grande

Pixabay Líderes mundiais estão

Pixabay Fornando Tortato normalmente

Ativistas em defesa dos

Lincoln e seu amigo

Escute Pixabay Uma superenzima


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
>