Crime bárbaro

Urso é morto e ONG oferece R$ 56 mil por pistas que levem ao caçador

O urso pertence a uma espécie que está ameaçada de extinção e é protegida por lei

Pixabay/Suetot/Imagem Ilustrativa
Pixabay/Suetot/Imagem Ilustrativa

O corpo de um urso-pardo foi encontrado na última terça-feira (9) nos Pirineus franceses. O caso, que acirrou os conflitos entre fazendeiros e ambientalistas, levou a uma investigação. A ONG Sea Sheherd ofereceu € 10.000 (mais de R$ 56.000) por pistas do caçador.

Macho, com cerca de 4 ou 5 anos, o urso pesava entre 150 e 200 kg e foi assassinado a tiros. Como não usava coleira de geolocalização, o animal não foi identificado. A coleira é usada por ursos da Eslovênia que foram reintroduzidos nos Pirineus, região montanhosa entre a França e a Espanha.

O urso, que está ameaçado de extinção e é protegido por lei, não é o primeiro a ser morto em 2020. Outro macho foi encontrado sem vida do lado espanhol dos Pirineus. O urso era criticado por ruralistas por matar ovelhas para não passar fome. As informações são da agência de notícias RFI.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

De acordo com ativistas, existe uma caça ao urso. “Um novo passo foi dado nesse contexto de impunidade dos opositores radicais e violentos ao urso que nossas associações denunciam há vários anos”, diz um comunicado assinado em conjunto por diversas ONGs, dentre elas o Pays de l’Ours e Férus.

A prática terrível da caça aos ursos é permitida na França, mas está com temporada fechada atualmente. Diante da morte do animal, uma investigação foi iniciada e o responsável pelo crime pode ser punido com três anos de prisão, além de multa de € 150.000.

No caso da recompensa oferecida pela Sea Sheherd, o objetivo é “motivar as pessoas que tenham informações sobre a morte do urso a ajudar no inquérito”. “As informações serão transmitidas às autoridades responsáveis pelo caso e a recompensa será paga se o testemunho levar a condenação dos responsáveis”, explicou a ONG.

Dois processos sobre o caso serão abertos na Justiça, um de autoria do governo francês e o outro da associação Rewild, cofundada pela Sea Shepherd.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui